Kevin De Bruyne está de volta. Depois de duas lesões, em agosto, que o afastou até outubro, depois em novembro, que o tirou de campo até esta metade de dezembro, o meia foi titular do Manchester City diante do Leicester, em um time com reservas na Copa da Liga. A vitória nos pênaltis, depois de um empate por 1 a 1 no tempo normal, leva os Citizens à próxima fase, mantendo a chance de um título. Mais do que isso, porém, a boa notícia é a recuperação clínica do meia belga. De Bruyne não marcava gols desde o dia 6 de julho. Foi quando marcou o gol contra o Brasil naquele 2 a 1 que levou a Bélgica à semifinal da Copa.

LEIA TAMBÉM: River Plate deu sopa demais ao azar e, nos pênaltis, o Al Ain está na final

O jogo de De Bruyne não foi nada naquele nível que vimos na Copa do Mundo, nem naquele nível da temporada passada, quando vimos De Bruyne ser um dos melhores da Premier League. Alguns, inclusive, acharam que ele foi melhor do que Mohamed Salah, do Liverpool, vencedor do prêmio, em votação entre os próprios jogadores.

De Bruyne atuou no meio-campo no lugar de John Stones (sim, o zagueiro, atuou improvisado como volante) e Phil Foden, o jovem que o técnico Pep Guardiola tem apostado. O meia teve participação decisiva no jogo ao marcar o gol do time, aos 14 minutos, no empate por 1 a 1. Marc Albrighton empatou no segundo tempo, aos 28 minutos. Nos pênaltis, vitória do Manchester City por 4 a 2.

No total, De Bruyne ficou fora de 106 dias nesta temporada por lesão, com 21 jogos neste período. Tanto que o belga fez apenas sete jogos na atual temporada e ele chegou ao seu primeiro gol. A Copa da Liga passa longe de ser uma prioridade do Manchester City, mas teve a sua importância para ter e volta De Bruyne. A principal parte da temporada chegará agora, com o período de festas primeiro e depois a segunda metade, com os jogos decisivos da Champions League.

Por isso, boa notícia para Guardiola. Ele terá algo a comemorar para as próximas rodadas. No sábado, o time volta a campo para encarar o Crystal Palace. Provavelmente, com De Bruyne no banco. É uma excelente opção para colocar em campo, quando necessário. E certamente com o jogador com fome de mostrar serviço.