Depois de uma considerável espera, Filipe Luís foi anunciado como novo jogador do Flamengo nesta terça-feira. O lateral de 33 anos assinou contrato com os rubro-negros até dezembro de 2021, após não renovar o seu vínculo com o Atlético de Madrid. Chega à Gávea como o principal nome em uma janela de transferências abastada e agrega ao clube não apenas por sua qualidade, mas por tudo aquilo que construiu ao longo de sua trajetória profissional. Tende a ser um jogador importante sobretudo pela mentalidade que incute no Fla. Por uma maneira de encarar os jogos que, tantas vezes, faltou à equipe nos últimos anos.

A prioridade de Filipe Luís era continuar no Atlético de Madrid. E isso não deve ser tratado pelo Flamengo como demérito, longe disso. Diante da longuíssima história que o lateral construiu com os colchoneros, nada mais natural que ele desejasse permanecer naquela que foi sua casa ao longo de quase uma década. Porém, o jogador não chegou a um acordo com a diretoria sobre o tempo de renovação e os reforços do Atleti para a lateral esquerda acabaram reduzindo o espaço ao veterano. Nada que tenha gerado qualquer mágoa, diante da bela despedida oferecida pelos rojiblancos ao ídolo.

O caminho, então, se abriu ao Flamengo. Torcedor do clube durante a infância, Filipe Luís fechou negócio com os rubro-negros após longas tratativas e ocupa um setor tratado como prioridade na janela de transferências. Por sua consistência, deve agregar até mais do que Rafinha ao time titular – embora o lado esquerdo estivesse mais bem servido, com Renê e Trauco, do que o lado direito do Fla. De qualquer maneira, não se nega os ganhos com um jogador de ótima leitura defensiva, capacidade no apoio e qualidade técnica.

100 anos de bola, raça e paixão: A historia do futebol do Flamengo
Maquinaria Editora (1 de março de 2016)
A Trivela pode ganhar comissão sobre a venda.

Até pelo longo trabalho ao lado de Diego Simeone, Filipe Luís certamente auxiliará o acerto da defesa, um dos principais desafios de Jorge Jesus neste começo à frente do Flamengo. A postura que o português deseja imprimir no time é diferente daquilo que o lateral vivia no Metropolitano, é claro, em uma equipe mais resguardada e reativa. Ainda assim, o novo reforço é uma referência óbvia à linha de zaga, pela maneira como sua inteligência tática pode ajudar o sistema. Tende a ser essencial num momento de prometidas mudanças aos rubro-negros.

As duas últimas temporadas de Filipe Luís no Atlético de Madrid não foram tão destacadas, sobretudo por algumas lesões que encarou. As condições físicas podem ser um obstáculo à sequência que terá no Flamengo, considerando a maratona de jogos costumeira no futebol brasileiro. No entanto, isso não parece impeditivo para que mantenha a sua regularidade no time quando estiver em campo, até pelo ritmo das partidas no país. A qualidade do veterano nos passes, aliás, pode ser muito bem aproveitada para a saída de jogo do Fla. Até a sua lesão, o defensor fazia uma Copa América excelente principalmente pela maneira como se alternava com Daniel Alves na construção. É algo a se adicionar no trabalho de Jorge Jesus.

Independentemente da maneira como for utilizado, seja fechando por dentro ou se mantendo aberto na beira do campo, Filipe Luís traz possibilidades ao Flamengo. Isso é algo fundamental. A lateral esquerda, vista por  anos como um ponto de desconfiança do time, agora tem uma de suas maiores certezas. E parece difícil imaginar que o defensor não vá se adaptar a este novo momento da carreira. Bola não falta, assim como a mentalidade sempre foi um de seus fortes, algo expresso na história que construiu com o Atlético de Madrid.

Esta, aliás, é a sua virtude mais importante dentro do Flamengo. Muitas vezes, o time carece de uma voz de comando para aturar a pressão e os momentos difíceis das partidas. Alguns líderes deixaram a desejar durante os últimos anos. Filipe Luís chega para ser um exemplo dentro de campo e também para assumir as rédeas em partidas nas quais a força mental dos rubro-negros é testada.

Por hierarquia interna, dificilmente Filipe Luís se tornará capitão em breve, mas exercerá um papel de referência já a partir de sua estreia. Tem um perfil muito bem-vindo, até pelo trato com a imprensa, sempre uma tempestade ao redor da Gávea. A inteligência do veterano nas entrevistas não é uma novidade e pode abrandar momentos em que os discursos alienados de certos jogadores mais atrapalham do que ajudam – sim, estou falando especialmente de Diego e de um media training bem elaborado, mas vazio, que pouco adianta quando se nega o evidente

Até por aquilo que a carreira de Filipe Luís representa, ele lidará com as cobranças no Flamengo. Não parece ser um problema, ainda que sua chegada peça um pouco menos de pressa, considerando a lesão recente e o ritmo diferente por conta da temporada europeia. Seu encaixe, apesar disso, não deve demorar. E será no dia a dia que o principal acréscimo poderá ser notado. A esperança não se deposita exatamente em um atleta que resolva jogos sozinho, e sim naquilo que pode oferecer ao crescimento coletivo.