Luis Suárez demorou cerca de dois meses para estrear no Barcelona. De início, muita gente se perguntava o quanto ele demoraria para se encaixar no time. Uma dúvida que se transformou com o tempo e, agora, é outra: o quanto Luisito teria feito se jogasse a temporada completa? Porque a fase espetacular que o Barcelona vive se dá muito, é claro, pelo ótimo momento de Messi e Neymar. Mas se explica muito mais pela forma como o uruguaio transformou a dupla em trio. E de um jeito como poucos esperavam. O artilheiro muitas vezes taxado de “fominha” no Liverpool tem exibido muito mais o seu lado solidário no Barça. Faz a diferença.

VEJA TAMBÉM: Neymar e Suárez foram os heróis do Barcelona do contra-ataque e enterraram os sonhos do Bayern

A atuação de Luis Suárez no primeiro tempo em Munique foi impecável. O uruguaio pode não ter aparecido em todos os momentos. Mas, quando o time dependeu dele, ele apareceu. Para fazer o resto dos craques jogarem. No primeiro tento, serviu de elo entre o passe magistral de Messi e o oportunismo de Neymar. Já no segundo, outra vez atuou como garçom do brasileiro em sua excelente finalização. Sem contar o chapéu humilhante que aplicou em Benatia à beira do campo. Para fechar com chave de ouro seus 45 minutos grandiosos.

Luis Enrique ressaltou a importância de Suárez ao substituí-lo por precaução no intervalo, já pensando no jogo decisivo com o Atlético de Madrid no Campeonato Espanhol. E, também pela falta do camisa 9, o time se retraiu e caiu de produção na etapa final, tomando a virada dos bávaros. A vaga na decisão, porém, já estava garantida, muito graças a Luisito. Que paga sua aposta ao sair do Liverpool para disputar a competição continental e, não apenas isso, ter a chance de levantar a taça.

Desde que chegou ao Barcelona, Suárez sempre demonstrou suas credenciais, ainda que tenha demorado um pouco para engrenar. Aparecia para vez ou outra para decidir, mesmo sem marcar tantos gols ou demonstrar muito entrosamento com o resto da equipe. Desde a virada do ano, especialmente, Luisito deslanchou pela fome de gol bem maior. E o resultado é visível não apenas pela ascensão do time de Luis Enrique, como também por seus próprios números. Desde janeiro, são 22 gols e 14 assistências em 31 jogos. Produtividade superior a um gol com participação direta por partida.

VEJA TAMBÉM: Ter Stegen viveu uma noite para se consagrar e também se afirmar como o futuro

O que mais chama a atenção é a aptidão de Suárez para servir. Não que ele fosse individualista no Liverpool. Na última temporada da Premier League, por exemplo, foram 12 assistências. Só que o camisa 9 costumava prender muito mais a bola, em um time bem mais dependente de seu talento. Agora, no Barcelona, Luisito tem mais craques para jogar ao seu lado. Como bem mostrou em Munique, nos dois passes para Neymar. Ao todo, o uruguaio soma 22 assistências em 42 partidas pelo clube. Em média, melhor até mesmo que Lionel Messi.

E a solidariedade de Luis Suárez reforça as chances do Barcelona em buscar a Tríplice Coroa. Se o favoritismo dos blaugranas é evidente no Campeonato Espanhol e na Copa do Rei, na final da Champions o desafio será bem maior – Real Madrid ou Juventus pela frente. Só que o uruguaio já deu provas suficientes de como gosta de uma decisão. Seus jogos em Copas do Mundo, em especial, não deixam mentir. Por enquanto, está valendo cada milhão investido pelos espanhóis na caríssima contratação.