O início consistente da Internazionale na Serie A apontava que a Juventus teria uma concorrente duríssima na luta pelo Scudetto nesta temporada. A equipe de Antonio Conte tomou a primeira colocação e, neste domingo, ganhou a chance de sublinhar sua força, numa partida de enormes expectativas dentro do San Siro. Diante das arquibancadas lotadas, os nerazzurri desafiavam o reinado da Velha Senhora. E o espetáculo realmente valeu o ingresso. O jogo contou com duas equipes competitivas, que tentaram se impor e usar suas armas. No entanto, a Juve primou por sua estratégia em Milão. Maurizio Sarri foi mais feliz em suas escolhas, montou um time mais agressivo e contou com a qualidade de seus homens de frente. Além das ótimas atuações de Dybala e Cristiano Ronaldo, Higuaín se encarregou do papel decisivo. Saiu do banco e garantiu a vitória por 2 a 1, que deu a liderança aos bianconeri.

A Juventus se valeu do início de partida intenso para sair à frente no placar. Os bianconeri marcavam firme e pressionavam no ataque. Balançaram as redes aos quatro minutos, a partir de uma bola que Miralem Pjanic roubou e lançou. Paulo Dybala avançou em direção à área e, mesmo marcado de perto por Milan Skriniar, conseguiu acertar um chute forte. A bola cruzada passou por baixo do defensor e superou Samir Handanovic. Cristiano Ronaldo também chamava a responsabilidade e acertou o travessão pouco depois. O camisa 7 cortou da esquerda para o meio e soltou o míssil da entrada da área, que estremeceu a barra.

A Internazionale cresceu por volta dos 15 minutos, ao se impor melhor no meio-campo. Arrancou o empate aos 18 minutos. Matthijs de Ligt colocou o braço para impedir o cruzamento a Lautaro Martínez e cometeu o pênalti. Na cobrança, o próprio argentino venceu Wojciech Szczesny. Os nerazzurri capitalizaram o momento e tomaram o controle da partida para si. Mesmo com menos posse de bola, a equipe de Antonio Conte não concedia espaços e era mais objetiva no ataque. A melhor chance da virada veio de novo com Lautaro, em chute forte que exigiu uma excelente defesa de Szczesny – salvando outra lambança de De Ligt.

O problema à Internazionale aconteceu aos 34 minutos, quando Stefano Sensi sentiu lesão e precisou ser substituído por Matías Vecino. Os interistas sentiram a saída do meio-campista, o que deixou a Juventus com mais espaços no campo de ataque. Pressionando, os juventinos quase retomaram a vantagem antes do intervalo. Cristiano Ronaldo primeiro bateu uma bola ajeitada por Dybala e deu muito trabalho a Handanovic. Depois, o português e o argentino construíram uma belíssima tabela, que envolveu a defesa adversária e permitiu a CR7 balançar as redes. Porém, Dybala estava impedido e o tento foi anulado. Na saída para o intervalo, daria tempo inclusive para uma confusão entre os jogadores.

A segunda etapa seria mais estudada, com os dois treinadores realizando alterações e promovendo variações na maneira de atuar de seus times. A Juventus parecia pronta a manter sua postura mais agressiva e Handanovic voltou a salvar a Inter, em tentativa de Federico Bernardeschi. Apesar do esforço dos nerazzurri em conter a pressão, as melhores chances pendiam aos bianconeri. Cristiano Ronaldo se sentia à vontade na partida e aparecia bastante para concluir as jogadas. Além disso, Dybala também pararia em Handanovic aos dez minutos, num lance brigado na pequena área.

Conte trocou Diego Godín por Alessandro Bastoni para tentar corrigir a marcação da defesa. Enquanto isso, Sarri sentia as condições favoráveis e fez duas trocas aos 17 minutos, mandando o time para frente com Gonzalo Higuaín e Rodrigo Bentancur. O duelo ficou mais equilibrado, com investidas de ambos os lados. A Inter quase virou aos 24, num chute de Vecino que desviou em De Ligt. Apesar da jornada ruim, o zagueiro deu sorte ao ver a bola carimbar a trave. A resposta da Juve viria de novo com Ronaldo, em tiro que Handanovic defendeu.

A chave para a Juventus aconteceu quando Sarri recompôs o seu meio e trocou Paulo Dybala por Emre Can. Enquanto isso, Conte tomou uma questionável decisão de sacar Lautaro, suplantado por Matteo Politano. O gol da vitória saiu pouco depois, aos 35. Trabalhando a bola no ataque, a Juve achou os espaços a partir de uma troca de passes. Pjanic quebrou a primeira linha, Ronaldo fez o pivô para Bentancur e o uruguaio entregou o presente a Higuaín, que passou ao lado de Bastoni. Livre dentro da área, Pipita bateu por baixo de Handanovic. No final, a Inter buscou se recobrar do prejuízo. Szczesny parou Vecino e, quando podia pegar a defesa aberta, Romelu Lukaku errou o giro. A Juventus reafirma sua superioridade.

Mesmo com algumas dificuldades, a Juve mereceu o resultado, sobretudo pela agressividade. E o maior prêmio está no topo da tabela, com a retomada da primeira colocação. Com quatro vitórias consecutivas, os bianconeri chega aos 19 pontos. Ficam um ponto à frente da Internazionale, que perde os 100% de aproveitamento, na vice-liderança. Conte teve sua dose de azar, especialmente com a saída de Sensi, mas não mexeu bem na equipe e bancou jogadores que não renderam tanto. Precisará tirar a diferença na sequência da competição, já pensando em como tentará dar seu xeque mate em Turim.

Classificações Sofascore Resultados