Magia na Arena: Grêmio tem noite de favorito ante o Caracas

Zé Roberto, Vargas e Barcos deram show para garantir a goleada gremista e a liderança do Grupo 8 da Libertadores

A derrota para o Huachipato na estreia da fase de grupos não passou de um susto. O Grêmio embalou na Copa Libertadores e deu mais uma prova de força nesta terça-feira. É verdade que o Caracas não é dos adversários mais temíveis, mas ainda assim os tricolores impressionaram pelo potencial ofensivo com a goleada por 4 a 1 em Porto Alegre.

Com o resultado, o Grêmio assume a liderança do Grupo 8, com seis pontos. Além disso, a equipe quebra a maldição dos mandantes na chave, sendo os primeiros a vencerem em casa após cinco triunfos dos visitantes. Nesta quarta, Fluminense e Huachipato abrem a quarta rodada do grupo.

Nem mesmo o gramado da Arena, em condições um pouco melhores desta vez, foi capaz de atrapalhar os gaúchos. A superioridade era evidente desde o início. Não precisava, mas o goleiro Alain Baroja deu um presente nos pés de Hernán Barcos, que abriu o placar aos 16 minutos. O segundo gol parecia consequência diante da ótima movimentação dos gremistas. E, depois de boas defesas de Baroja, veio com Werley, desviando escanteio cobrado por Zé Roberto.

Logo no início da segunda etapa, Zé Roberto deixaria o seu. Barcos deu um passe magistral e deixou o verdadeiro camisa 10 na cara do gol, para driblar o goleiro e arrematar. O Caracas até diminuiu, em falta que Andrés Sánchez desviou de cabeça. Nada suficiente para estragar a festa. Pará arrancou pela direita e rolou para Zé Roberto marcar o quarto. E, sob gritos de olé, o quinto só não saiu por detalhe.

Ainda é cedo para dizer, mas ao menos por suas duas últimas apresentações, o Grêmio desponta como um dos favoritos nesta Libertadores. O esquema 4-4-2 aplicado por Vanderlei Luxemburgo tem funcionado muito bem. E, ainda que o sistema defensivo não inspire tanta confiança, o quarteto ofensivo compensa com seu talento.

Zé Roberto foi o nome do jogo não apenas pelos dois gols e pela assistência, como também pela intensidade nas subidas ao ataque. Eduardo Vargas foi outro em grande noite, movimentando-se muito bem ao redor da área e servindo os companheiros. Barcos foi o centroavante oportunista, mas mostrou que pode ir além, participando da construção do jogo. E Elano esteve muito bem na organização. Quatro nomes que podem fazer a diferença para levar o Grêmio longe e que, contra o Caracas, estiveram afinados.