O Barcelona chegou pela primeira vez à final da Champions League feminina, mas diante de uma rival muito mais experiente, não foi páreo para o Lyon. O time francês se consagrou tetracampeão consecutivo da Champions com autoridade, venceu por 4 a 1 e teve a sua principal jogadora, Ada Hegerberg, brilhando intensamente. Foram três gols da norueguesa, vencedora da Bola de Ouro – a primeira vez que a premiação foi dada ao futebol feminino. O que a equipe francesa mostrou é que muito superior às adversárias. No total, o Lyon chegou a seis títulos da Champions League, clube com mais títulos na competição.

Logo aos três minutos, o Lyon saiu jogando mal, Tony Duggan recebeu a bola em uma grande chance e chutou cruzado, mas mandou para fora. A primeira grande chance do jogo foi do time espanhol.

Só que do outro lado tem um time que é muito experiente e fatal com a bola nos pés. Aos cinco minutos, lançamento longo para Shanice van de Sanden, que cruzou para o meio e Dzesenifer Marozán, nascida justamente ali, em Budapeste, mas naturalizada alemã, marcou 1 a 0.

E o Lyon explorou a avenida deixada pelo Barcelona na direita. Mais uma bola esticada para a camisa 11, Van de Sanden, tocou para o meio onde estava a grande jogada do Lyon, Ada Hegerberg, Bola de Ouro, que dominou, tocou no canto e ampliou o placar: 2 a 0.

O Lyon dominava completamente a partida, tocando a bola, sem permitir que o Barcelona tivesse qualquer chance. Aos 19 minutos, Amel Majri caiu pela ponta esquerda, fez uma bela jogada e cruzou rasteiro para o meio. Ada Hegerberg se antecipou à marcação e finalizou de pé esquerdo, marcando 3 a 0.

O Lyon passeava em campo e foi aproveitando para aumentar o placar. Aos 30 minutos, Lucy Bronze avançou pela direita e cruzou para a área. A goleira Sandra Paños saiu mal e Ada Hegerberg aproveitou para tocar para a rede: 4 a 0. Antes do fim do primeiro tempo, o título já parecia decidido em Budapeste.

No final do primeiro tempo, aos 44 minutos, o Barcelona tebe uma ótima chance para diminuir o placar. Alexia, de cabeça, completou um escanteio na segunda trave, mas mandou por cima. Este cenário seria mantido no segundo tempo.

Com um ritmo muito mais lento do Lyon, o Barcelona criou algumas chances. O time espanhol empilhou oportunidades de gol, desperdiçando todas elas. A craque do Barcelona, Lieke Martens, teve uma grande chance aos 23 minutos, em um cruzamento que a holandesa teve liberdade total, mas pegou mal na bola e mandou para fora.

Losada, em uma das melhores chances, se livrou de duas zagueiras e, cara a cara com a goleira, deu um toque leve por cima. A bola bateu foi para fora, desperdiçando uma imensa oportunidade, aos 29 minutos.

A brasileira Andressa Alves entrou em campo com a camisa 10 do Barcelona, mas não tinha muito o que fazer por ali. O jogo, já decidido, apenas aguardava um fim. O Barcelona não conseguia se impor, e também sofria para trocar passes.

No fim, o Barcelona ainda conseguiu o seu tão procurado gol. Asisat Oshoala recebeu em profundidade de Martens e desta vez não teve erro: tocou rasteiro e marcou o gol de honra do Barcelona. Eram 44 minutos do segundo tempo. Foi apenas para tirar o zero do placar e deixar um pouco menos amargo para a equipe catalã.

O Lyon mantém uma hegemonia que estabeleceu na Europa nos últimos anos com o seu quarto título consecutivo. Uma tristeza para o time da Catalunha, mas que não pode ser motivo de vergonha. As adversárias mostraram uma superioridade imensa e parecem em um estádio muito avançado em relação aos demais times femininos, incluindo aí o Barcelona. É claro que o sonho se mantém. E ser a primeira equipe da Espanha a chegar à decisão é um feito.

Ao Lyon, mais uma taça, mais uma celebração de um time que escreve a sua história com muitas glórias no futebol europeu. Ada Hegerberg mostrou a sua qualidade nas finalizações, marcou três vezes e quebrou mais uma marca, a de ser a primeira jogadora a fazer três gols em uma final de Champions League feminina.  Algo notável.

A Copa do Mundo Feminina chega no dia 7 de junho e certamente algumas dessas estrelas do Lyon estarão em campo. Uma pena que Hegerberg não defenda a Noruega na Copa, mas veremos Maroszán pela Alemanha, Lucy Bronze pela Inglaterra, as francesas Wendie Renard e Eugénie Le Sommer. Tem tudo para ser interessante.