Se no futebol masculino o Lyon encara uma pequena crise, com a saída de Sylvinho e a busca por um novo treinador para corrigir os rumos tortos deste início de temporada, no feminino a predominância do OL continua. Multicampeão a nível nacional e continental, o Lyon agora visa uma expansão além-mar, com o presidente do clube, Jean-Michel Aulas, revelando os planos de comprar uma franquia da NWSL, a liga norte-americana de futebol feminino.

Durante apresentação de resultados financeiros à holding OL Groupe, que gere o Lyon, Aulas falou do plano bastante próximo de adquirir um time nos Estados Unidos. “Se as coisas avançarem como desejamos, poderíamos, antes do fim do mês de outubro, anunciar uma negociação exclusiva”, afirmou.

Não há informações sobre qual franquia estaria no radar, mas a revista francesa So Foot diz que seria uma das novas equipes da liga, embora não se descarte times prontos para entrar na competição por meio da expansão prevista para 2020.

Merritt Paulson, presidente do Portland Timbers e também da equipe feminina Portland Thorns, disse em agosto que pelo menos três equipes estão interessadas em se juntar à liga, duas em 2020 e outra em 2021.

De qualquer forma, independentemente de qual seja o escolhido, Aulas diz que seu projeto está avançando bem e que o Lyon visa estar operando sua nova equipe feminina “antes do começo da próxima temporada, em março/abril de 2020”.

O presidente lyonnais disse ter se encontrado com proprietários de dois clubes americanos durante a passagem deles por Lyon para as semifinais e a final da Copa do Mundo Feminina deste ano para falar sobre suas pretensões.

A compra, diz Aulas, faz parte de uma expansão internacional do Lyon, e faz sentido que parte disso aconteça com um projeto no futebol feminino. É uma modalidade já dominada pelo clube, atual tridecacampeão (13 títulos!) do Campeonato Francês e vencedor das últimas quatro Champions Leagues femininas. Em um momento de expansão do futebol feminino em todo o mundo, os OL parece estar pronto para dar um passo que lhe permitiria manter sua supremacia mesmo em meio a tantas mudanças no cenário mundial da modalidade.