Após o caos do curto trabalho de Sylvinho à frente do comando técnico do clube, o Lyon vai, pouco a pouco, consolidando sua reação. Nesta terça-feira (5), o 3 a 1 sobre o Benfica, no Estádio Groupama, pela quarta rodada da fase de grupos da Champions League, significou não só o retorno à segunda colocação da chave, mas também uma terceira vitória consecutiva em todas as competições para a equipe agora treinada por Rudi Garcia.

O triunfo não veio sem sustos, com a queda de rendimento no começo do segundo tempo ameaçando os lyonnais, ainda que sem efeito no placar. O desempenho na primeira etapa, no entanto, foi suficiente para o saldo final da partida ser bastante positivo ao time francês.

Mesmo finalizando menos que o Benfica no primeiro tempo, o time de Rudi Garcia foi eficaz quando criou suas oportunidades. Logo aos quatro minutos, abriu o placar com o zagueiro Joachim Andersen, depois de cruzamento preciso de Léo Dubois.

Aos 33 minutos, Houssem Aouar deu uma mostra de por que seu potencial empolga o torcedor francês. Arrancou com a bola perto da linha central de campo, pela ponta esquerda, e, com velocidade e dribles, chegou até a área benfiquista para o cruzamento certeiro a Memphis Depay, que não desperdiçou e fez o 2 a 0.

Chiquinho, nos acréscimos da primeira etapa, forçou Anthony Lopes a trabalhar, com finalização forte. Seferovic, já aos 12 do segundo tempo, também exigiu boa defesa do goleiro português do Lyon, por sua vez com um chute de longa distância.

Reine-Adelaïde protagonizou bom lance individual e quase fez o 3 a 0 com finalização curva, mas foi o Benfica quem marcou primeiro na segunda etapa. Aos 31 minutos, após lançamento longo, pelo alto, de Pizzi, Seferovic dominou no peito e bateu cruzado na saída de Lopes. Inicialmente, o gol foi anulado por impedimento, mas a checagem no VAR validou o 2 a 1.

Para matar o jogo, Bertrand Traoré, aos 44 do segundo tempo, driblou e bateu cruzado, da direita, para fazer 3 a 1 e assegurar os três pontos do time francês.

Classificações Sofascore Resultados

A vitória, aliada à derrota do Zenit em casa para o RB Leipzig, lançou o Lyon à segunda colocação do Grupo C, com sete pontos, mas a briga ainda deverá ser animada com o restante da chave nas duas rodadas finais.

Independentemente disso, o Lyon tem motivos para comemorar por ora. Rudi Garcia, com incríveis 16% de aproveitamento em 25 jogos de Champions League antes da partida desta terça-feira, conseguiu um importante resultado em sua missão de recolocar o time na trilha do sucesso. Depois do descarrilamento com Sylvinho, a estabilidade começa a retornar.