O Real Madrid confirmou a contratação do atacante de 21 anos, do Eintracht Frankfurt. O jogador chega por € 65 milhões ao clube de Madri e é uma demonstração do tipo de política de transferências do clube com o técnico Zinedine Zidane. Se Florentino Pérez ficou conhecido pelo modelo de superestrelas, montando os galácticos, com Zinedine Zidane como técnico a linha foi de apostas. Mesmo que, no caso, a aposta neste caso seja em um jogador que não foi barato, com preço de galáctico, mas está longe da badalação que o clube pareceu apreciar em outros tempos.

Com o desempenho abaixo do esperado na temporada, era esperado que o Real Madrid fosse ao mercado com força. A contratação de Luka Jovic mostra apetite por trazer um jogador que se destacou em uma grande liga, mas em um clube menor. O padrão galáctico normalmente é tirar destaques de times importantes, como se especula que fará com Eden Hazard, do Chelsea.

Jovem e goleador, Jovic vem com preço de galáctico, € 65 milhões, mas com rótulo ainda de aposta. Mesmo com o mercado atual do futebol, com preços altíssimos de transferências de jogadores, pagar esse valor ainda é um privilégio de poucos times no mundo. Só os times dos chamado top 6 na Inglaterra, ou o Bayern, na Alemanha, poderiam pagar isso, além de Real Madrid e Barcelona. Clubes como a Juventus podem pagar isso, mas não em uma aposta como o sérvio. Vale o mesmo para o Borussia Dortmund, por exemplo. Além desses, apenas o PSG teria essa capacidade – e com o Fair Play Financeiro da Uefa de olho, o clube parisienses não tem arriscado.

Jovic é um jogador que não arrasta multidões ao Santiago Bernabéu para sua apresentação, como foram as contratações de Kaká e Cristiano Ronaldo no verão de 2009. Ambos custaram alto, mas se o primeiro trouxe pouco retorno em campo, o segundo se tornou um dos maiores da história do clube. Florentino Pérez se acostumou a contratações que suscitam manchetes bombásticas. A última dessas foi em 2014, vejam só, depois da Copa do Mundo no Brasil. O Real Madrid buscou o artilheiro da Copa, James Rodríguez, destaque da Colômbia no torneio.

Jovic é uma contratação diferente dessas. Nascido em Bikeljina, território que hoje pertence à Bósnia, mas de etnia sérvia, Jovic completou 21 anos em 23 de dezembro, já que nasceu em 1997. Foi uma estrela em ascensão no futebol europeu, que se consolidou no Eintracht Frankfurt, clube que defendeu pelo segundo ano em 2018/19. Nesta temporada, fez 48 jogos e marcou 27 gols.

O sucesso do atacante não é uma surpresa para quem já trabalhou com o jogador, como mostramos no dia 1º de maio, com depoimentos de Zvezdan Terzic, que foi diretor do Estrela Vermelha, clube que formou o atacante, que disse na época que ele ainda estava na Sérvia que ele se tornaria um dos melhores atacantes da Europa. Alexander Meier, jogador histórico do Eintracht Frankfurt, que conviveu com o jogador no primeiro ano dele na Alemanha, disse: “Ele é o melhor finalizador com quem eu joguei”, o que não é pouca coisa.

Jovic é um centroavante com características bem diferentes de Benzema. Enquanto o atual camisa 9 do Real Madrid é um jogador de maior participação no jogo, a ponto de se tornar uma espécie de escudeiro de Cristiano Ronaldo, Jovic é um finalizador mais clássico, de área, com poucos toques na bola para marcar seus gols. Benzema terá concorrência no comando do ataque e dando uma opção diferentes, que pode ser interessante.

Depois de um início brilhante no Estrela Vermelha, a sua transferência para fora do país foi envolta em suspeitas, como contamos no início de maio. Ele foi comprado pelo Apoel Limassol por € 2 milhões, mas nunca jogou pelo clube: foi repassado ao Benfica por € 6,6 milhões, o que gera suspeitas de uma operação fraudulenta. Sua passagem pelo Benfica foi um fracasso. Com problemas fora de campo, nunca se firmou dentro das quatro linhas e só jogava pelo time B.

Foi levado ao Eintracht Frankfurt por empréstimo de dois anos custando € 200 mil e cláusula de compra de € 7 milhões. Foi comprado, para novamente ser vendido, agora para o Real Madrid, um dos maiores clubes do mundo, por € 65 milhões, segundo informa a DW. “Do ponto de vista esportivo, Luka Jovic é uma grande perda para nós. Sua explosão e capacidade de marcar gols tem sido falada por toda a Europa. Mas ficou claro para nós que havia uma realidade financeira para isso”, afirmou Fredi Bobic, diretor do Eintrancht Frankfurt, responsável por levá-lo ao clube.

Com a chegada de Jovic ao elenco do Real Madrid, a continuidade de jogadores como Borja Mayoral, que jogou emprestado ao Levante nesta temporada, e Mariano, recomprado do Lyon, estão ameaçadas. Jovic é a opção de banco que Zidane precisava para tornar o elenco melhor. Mariano Díaz, que recebeu a pesadíssima camisa 7 que era de Cristiano Ronaldo, não correspondeu nos jogos que esteve em campo.

O Real Madrid sentiu falta de gols. Mesmo com o bom desempenho de Benzema, com 30 gols em 51 jogos, o time sentiu falta de quem pudesse fazer os gols que o time precisou. Jovic pode ser um jogador para preencher esse vazio. É, porém, uma aposta, ainda que com razoável tranquilidade pelo que mostrou em campo nas duas últimas temporadas.

O contrato de Jovic vai até 30 de junho de 2025 e se junta aos brasileiros Éder Militão, que veio do Porto, e Rodrygo, que virá do Santos. Esta, porém, deve ser só o começo. É esperado que o Real Madrid ainda vá mais ao mercado. A sinalização com a chegada de Jovic é que parece haver uma vontade de renovação do elenco, com jovens de potencial. Não quer dizer que não chegarão estrelas. Quer dizer que o time não será montado pensando nisso.

Por isso, Zidane tem um enorme desafio pela frente. Montar o elenco depois de um caos na temporada que acabou recentemente é uma missão difícil. Por enquanto, os reforços parecem ótimos para o elenco merengue. Todos elencos são apostas, ainda que com bastante possibilidade de sucesso pelo que já mostraram. Jovic é, dos contratados, um dos que chega com maior expectativa. Veremos se o sérvio estará à altura do desafio que virá.