Líder absoluto do Campeonato Espanhol, o Barcelona deu um passo importante nesta quinta para buscar a dobradinha nacional. O Valencia se coloca como o principal desafio dos blaugranas na Copa do Rei, já na semifinal. E o time de Ernesto Valverde sai em vantagem no confronto com os Ches. Foi uma vitória magra no jogo de ida, mas que já dá a vantagem do empate ou da derrota simples com gols no Mestalla. Luis Suárez, impossível nas últimas semanas, mais uma vez garantiu a festa aos catalães. No segundo tempo, apareceu para assegurar o triunfo por 1 a 0 dentro do Camp Nou um tanto quanto vazio.

Enquanto o Barcelona entrou com um time praticamente titular, exceção feita a Jasper Cillessen e a Aleix Vidal, o Valencia realizava algumas rotações. E a equipe de Marcelino Toral se conteve a defender. O primeiro tempo terminou com 79,4% de posse de bola aos anfitriões, que dominavam o campo de ataque, mas não encontravam espaços para finalizar. Os blaugranas insistiam nas bolas alçadas e não tinha sucesso, sem acertar a meta defendida por Jaume Doménech uma mísera vez. Ao menos não corriam tantos riscos de uma surpresa, sem que os Ches conseguissem encaixar os contra-ataques. O trunfo dos visitantes foi mesmo o paredão construído ao redor de sua área, com duas linhas de quatro, fechando também as diagonais.

O jogo se abriria mais no segundo tempo. Lionel Messi seria fundamental a isso, chamando mais o jogo para si, enquanto o Valencia saía ao ataque. Além do mais, Ernesto Valverde promoveu sua primeira alteração, botando Philippe Coutinho no lugar de Aleix Vidal, com o brasileiro mais centralizado. O gol da vitória saiu aos 21 minutos. Messi recebeu na esquerda e cruzou da linha de fundo. Jaume não conseguiu cortar e Suárez apareceu livre para cabecear com força. José Gayá tentou tirar em cima da linha, sem sucesso.

Depois do gol, o Barcelona seguiu em cima do Valencia, buscando ampliar a diferença. Coutinho participou bem e tentou deixar o seu, parando em defesa de Jaume. Paco Alcácer também exigiu intervenção do goleiro, enquanto Messi cobrou falta com perigo. O Valencia, de qualquer forma, não foi mero espectador. Vez ou outra, conseguia se aproximar da meta adversária. Já nos instantes finais, foram duas boas jogadas com Santi Mina. Na primeira, Cillessen saiu de maneira providencial, antes que o jovem mandasse para fora a última oportunidade.

Luis Suárez, sobretudo, contribui ao momento do Barcelona. O centroavante tem sido extremamente efetivo desde dezembro, quando se recuperou das lesões musculares que o deixaram em condições limitadas no início da temporada. São 13 gols nas últimas 11 aparições. Se não exibe a magia de Messi, consegue garantir a excelente sequência dos blaugranas com a mais pura eficiência de um matador.

O reencontro fica marcado para a próxima semana, no Mestalla. Já no domingo, os dois times terão compromissos importantes no Campeonato Espanhol. O Barcelona revisita o Cornellà El-Prat para o dérbi contra o Espanyol, tentando não deixar escapar a invencibilidade na Liga. Já o Valencia vai até o Wanda Metropolitano buscando encurtar a distância para o Atlético de Madrid, seis pontos à frente na tabela, e de olho no Real Madrid, que se aproxima no retrovisor.


Os comentários estão desativados.