Ficou quase impossível perguntar a um jogador quem ele acha ser o melhor atacante do mundo e ouvir algo diferente de “Cristiano Ronaldo” ou “Lionel Messi”. Mas Luis Muriel, goleador da Atalanta, surpreende em sua resposta– e muito. Para o colombiano, o melhor jogador ofensivo do mundo é o brasileiro Roberto Firmino.

“Você está esperando que eu diga um jogador que marca 40 vezes por temporada. Eu tenho uma ideia diferente e digo Firmino”, afirmou em entrevista ao Corriere dello Sport.

A explicação para a resposta incomum do atacante gira em torno da influência que Firmino no ataque do Liverpool, não só jogando, mas também fazendo os companheiros jogarem. “(É o melhor) por causa de sua enorme qualidade e porque não se trata apenas de fazer gols. Ele te deixa na cara do gol com um toque de calcanhar, e para mim isso vale mais”, justificou.

Apesar de vestir a camisa 9, Firmino flutua bastante pelo ataque e mesmo pelo meio do campo do Liverpool, abrindo espaço para descidas em diagonal dos pontas e, sobretudo, servindo os companheiros. Em 150 jogos na Premier League, soma 30 assistências, além de 52 gols. Em todas as competições, já marcou 70 gols pelos Reds desde que chegou em 2015.

Firmino, do Liverpool (Foto: Getty Images)

Ainda assim, Muriel revela que a expectativa de seu técnico, Gian Piero Gasperini, sobre seu futebol é por um caminho diferente. O treinador da Atalanta não quer que o colombiano receba a bola de costas para o gol, como é tão comum para Firmino. Em vez disso, insiste que o atacante vá “sempre em diagonal, para tirar o máximo de suas características”. “Ele é um tormento, mas está certo”, brinca Muriel.

E como está. Na atual temporada, o colombiano já balançou as redes oito vezes em 11 partidas na Serie A. Número excelente, mas que não impede Gasperini de sempre cobrar mais. “Ele está constantemente me pressionando, mas eu sigo o que ele diz cuidadosamente; eu sei do que preciso para melhorar”, comenta o atacante.

É com essa autocobrança e o faro de gols de Muriel que a Atalanta conta para conseguir uma difícil, mas ainda possível classificação às oitavas de final da Champions League. A equipe é a lanterna do Grupo C, com quatro pontos em cinco jogos. Porém, a vitória por 2 a 0 sobre o Dinamo Zagreb nesta semana possibilitou aos italianos seguirem sonhando.

“Foi um jogo fantástico contra o Dinamo, exatamente como queríamos. Acreditaremos até o último minuto. (…) Replicamos nossa atuação contra a Juventus e aproveitamos as nossas chances. Bom, talvez não todas, porque tivemos muitas chances também na terça-feira”, refletiu Muriel ao falar do triunfo que deu sobrevida ao time de Bérgamo.

Agora, uma combinação de vitória sobre o Shakhtar Donetsk na última rodada e triunfo do Manchester City sobre os croatas colocaria a Atalanta no mata-mata. Perspectiva nada ruim para quem em quatro partidas havia somado apenas um ponto.

Classificações Sofascore Resultados