Os dois primeiros jogos de Luis Enrique como técnico da Espanha foram como sonhos. Venceu a Inglaterra em pleno estádio mítico de Wembley, além de ter sapecado uma goleada histórica por 6 a 0 na Croácia, vice-campeã mundial. Uma atuação de um time espanhol bastante renovado, não só em nomes, mas como proposta de jogo. Um time menos paciente, mais vertical e muito perigoso nas finalizações, algo que foi um problema desse time em diversos momentos.

LEIA TAMBÉM: Avassaladora, Espanha impõe pior derrota da história da Croácia: 6 a 0

Depois do jogo com a Croácia, o técnico Luis Enrique teve o seu nome cantado pelos torcedores presentes. O treinador afirmou que se sentiu envergonhado e disse que o trabalho maior é dos jogadores. O técnico Zlatko Dalic, da Croácia, se disse impressionado pela Espanha que enfrentou. “Esta Espanha é mais profunda e mais vertical que a que jogou a Copa”, afirmou o treinador.

Rodrigo

“Rodrigo é um atacante versátil que pode se associar porque tem um jogo entre linhas espetacular e pode jogar pelo lado. Logo, tem chegada e se desmarca muito bem. É muito bom finalizador. Pode se adaptar a ser um nove. Não é um típico nove de referência, mas estou encantado com ele”, disse Luis Enrique.

Meio-campo

Um dos setores mais importantes da Espanha desde a sua ascensão em 2008 é o meio-campo. É de lá que se faz o controle de jogo que o time se acostumou a fazer e que caracteriza o tiki taka. Foi uma das mudanças feitas por Luis Enrique. O único mantido em relação à Copa do Mundo foi Sergio Busquets. Ao seu lado, na Rússia, jogaram Koke e Isco. Com Luis Enrique, os escolhidos foram Dani Ceballos e Saúl Ñíguez. E quem mais impressionou o técnico foi justamente Ceballos, que estreou pelo time principal.

“Dani Ceballos eu vi estrear pela sub-21 e fez o mesmo quando estreou pela seleção principal”, disse o técnico. “Isso está ao alcance de muitos poucos jogadores”, afirmou Luis Enrique. “Se Ceballos aceita o desafio dessa maneira, no futuro vai nos ajudar muito”, afirmou. “É um jogador diferente. É dos que já não há mais no futebol. Os problemas não o superam, suas pernas não temem, ele não perde a bola. Quando adiantamos a pressão, rompe linhas, dá o último passe, faz um enorme esforço físico. Marcou tão bem Modric que ele ficou incomodado e teve que ir para outra parte do campo”.

Desempenho

“Saiu tudo de maneira maravilhosa. A partir de sofrer algumas ocasiões de gol quando começamos, um pouco em dúvida, eles não aproveitaram e a partida mudou. Fomos brilhantes em algumas fases com gols incríveis e gerando muito perigo”, avaliou Luis Enrique. “Não nos esqueçamos que enfrentamos a vice-campeã do mundo”, alertou o treinador.

“A Croácia pressiona bem e apesar de termos trabalhado, custa. É normal. O futebol é um jogo de erros e nós cometemos alguns nos primeiros 10 minutos. Logo os jogadores puderam sair da pressão alta do rival, encontraram espaços, a profundidade com os laterais e o jogo entre linhas. Asensio foi espetacular na definição, Saúl foi impressionante, Ramos e Nacho fizeram mudanças de orientação espetaculares, Busi [Busquets] e os meio-campistas fizeram uma partida espetacular, Carvajal foi como um ponta pelo lado, Gayá foi fenomenal, Isco pode marcar gols… Quem me sobra? Anulamos com a pressão a Modric e Rakitic, que são os melhores meio-campistas do futebol mundial”, analisou ainda o treinador, ex-Celta e Barcelona.

“O que eu mais gostei dessa concentração foi a atitude dos jogadores”, descreveu Luis Enrique. “Tiveram vontade de traduzir o que fizemos no treinamento. Hoje é um dia espetacular. Nós nunca poderíamos imaginar isso. Começar assim nos reforça. Mas, independente dos resultados, valeu a pena pela atitude”, disse ainda Luis Enrique.


Os comentários estão desativados.