O atacante Lucas Pratto, de 30 anos, deu entrevista para falar sobre o ano que teve pelo River Plate. O jogador fez sucesso no Brasil, atuando por Atlético Mineiro e São Paulo, onde estava em 2018 quando acertou a sua volta à Argentina para defender os Millonarios. Um dos objetivos da transferência era ser campeão da Libertadores, algo que ele conseguiu pelo clube, com um roteiro épico e uma final muito badalada com o Boca Juniors. O objetivo, porém, é ganhar mais uma vez. “Espero que Deus e meus companheiros me ajudem a ganhar a Libertadores de novo este ano”, afirmou Pratto ao jornal Clarín, que perguntou a ele sobre a vontade de voltar a levantar o principal título do continente.

LEIA TAMBÉM: A nova sandice da Conmebol está em proibir as bandeiras nos jogos da Libertadores

“Sim, tenho essa mentalidade. Mas também é muito difícil superar esta Copa que passou. Não só por ter ganhado a final do Boca. Também por ter superar o campeão anterior da América [Grêmio] e outros clássico como Independiente e Racing. Foi tudo muito lindo. De cinema”. Perguntado sobre qual seria o título do filme, ele gostou de algo que leu. “Vi que em alguns meios puseram ‘Heróis’ e realmente me emocionou muito, porque é um título muito bonito. Esse seria perfeito”.

Pratto foi para ao River no início de 2018, transferência que completou um ano. Nesse período, conquistou a tão sonhada Libertadores. “Sim, muito mais do que sonhei. Quando cheguei, já tínhamos uma final para jogar contra o Boca [Supercopa Argentina] e jogar essa final e ganha-la já foi incrível. Meu primeiro título no River. E depois do que aconteceu na Libertadores, como aconteceu tudo e como terminou, foi espetacular. Por isso, para mim, pessoalmente, vai ser difícil que algo supere isso. Embora, logicamente, quero ganha-la de novo. E espero que Deus e meus companheiros me ajudem a fazer isso”, afirmou Pratto.

Quando perguntado o que significou a conquista da Libertadores de 2018, Pratto foi enfático. “A mais importante da história. River ganhou quatro Libertadores, ganhou coisas importantes, foi campeão do mundo, mas para mim ser parte da Copa Libertadores não vai ser superada”, afirmou o jogador.

Gallardo

Quando Pratto chegou a Buenos Aires para assinar pelo River, um dos fatores que ele mesmo disse terem sido um fator para isso foi trabalhar com Gallardo. E ele segue elogiando o técnico. “Gallardo é o melhor líder que eu tive. Eu tive bons treinadores como ele no lado futebolístico, no tático, no estratégico, mas a liderança que ele tem é algo que eu nunca havia vivido na minha carreira”, disse o jogador.

“Eu havia dito que queria ser dirigido por ele, que me motivava tê-lo como técnico e não me equivoquei. Os resultados estão à vista. Vir para o River foi uma das melhores decisões que tomei na minha carreira. Eu sinto que estou em um grande momento futebolístico, de maior maturidade. Bom, se não fosse maduro agora, quando seria? (risos)”, disse o atacante.

Seleção argentina

Lucas Pratto passou a ser convocado para a seleção argentina quando o técnico era Edgardo Bauza, que o conhecia no Brasil. Com Jorge Sampaoli, não teve chances, assim como também não teve com Lionel Scaloni. O atacante foi perguntado se acha que pode ter outra chance na seleção, com vista à Copa América de 2019, que será no Brasil.

“Isso tem que ser perguntado ao técnico da seleção. Eu estou trabalhando para tentar ter uma nova oportunidade e espero seguir fazendo bem as coisas para que olhem por esse lado”, afirmou Pratto.