David Villa não joga pela Espanha desde a, para os espanhóis, fracassada Copa do Mundo de 2014. Desde então, a carreira internacional do maior artilheiro da história de La Roja vinha sido tratada como esta tivesse tido um fim. Mas ela ainda não acabou. As recentes atuações do atacante com a camisa do New York City falam justamente sobre isso, e apontam para dois fatores que precisam ser levados em consideração quando falamos sobre seleção. Aos 34 anos, Villa tem conseguido manter seu futebol de alto nível e é o vice-artilheiro da Major League Soccer. Fatores estes que estão fazendo Julen Lopetegui pensar com carinho em uma possível volta do camisa 7 à seleção espanhola.

VEJA TAMBÉM: Hertha adotou postura exemplar para repudiar faixa de conotação homofóbica de sua torcida

“A contribuição de Villa para o futebol espanhol tem um valor inestimável”, falou o treinador da Espanha após ter assistido mais uma performance magistral do jogador na MLS. Lopetegui era uma das 30 mil pessoas presentes no Yankee Stadium, onde o New York City enfrentou o Columbus Crew pelo último jogo da temporada regular da liga. E, como todos os outros espectadores, pôde ver o atacante acertar um voleio no último minuto da partida, dar uma assistência e ainda fazer uma bola beijar a trave depois de um chute maravilhoso. “Ele ainda joga em um nível muito elevado. Veremos se ele pode voltar futuramente. Temos sempre em mente um grande número de jogadores disponíveis. Nunca fechamos as portas para ninguém”, disse também o técnico depois do time da casa ter derrotado os visitantes por 4 a 1.

.

No início deste mês, Villa chegou a comentar sobre um eventual regresso à Furia em entrevista ao site oficial da MLS. “Eu pegaria o primeiro voo para a Espanha se fosse convocado”, afirmou o atleta na ocasião. “Sempre digo que estou aberto para jogar na equipe nacional. Foi um sonho poder ter defendido a Espanha e sempre será um sonho”, seguiu. “Se por um acaso o treinador achar que eu posso contribuir para o time, ficarei muito feliz em o fazer. Mas também sei que convocações são complicadas, já que a seleção espanhola tem ótimos atacantes e há muitos jogadores bons que também ficaram de fora”, pontuou, por fim, o camisa 7, que agora soma 23 gols na temporada e, mais do que nunca, mostra que o tempo não foi capaz de abater suas qualidades técnicas.