Liverpool não depende tanto de Suárez como antes

Durante período em que o uruguaio foi desfalque, novos destaques surgiram no time, e atacante precisará provar seu valor novamente

Após um longo período afastado dos gramados com a camisa do Liverpool, Luis Suárez retornou ao time na derrota para o Manchester United que eliminou a equipe da Capital One Cup. Apesar do revés, Brendan Rodgers exaltou a volta do uruguaio e considerou que o jogador será muito útil na temporada, já que precisa recompensar o apoio da torcida com bom futebol. No entanto, os bons números apresentados pelos Reds enquanto não tiveram Suárez mostram que o jogador tornou-se menos essencial à equipe e precisará, agora, provar seu valor para se encaixar no time, que tornou-se menos dependente de sua presença e desenvolveu um bom lado coletivo.

Na temporada 2011/12, Suárez foi suspenso por nove partidas por ter proferido ofensas racistas ao lateral francês do Manchester United Patrice Evra. Todos imaginavam que sua ausência naquele período seria muito danosa ao time de Merseyside, mas as cinco vitórias e apenas duas derrotas nesses nove jogos provaram o contrário. O desempenho do Liverpool durante esta segunda suspensão de Suárez – após mordida em Branislav Ivanovic – foi ainda mais positivo.

Logo na primeira partida sem o uruguaio, o time goleou o Newcastle por 6 a 0, e, no total, foram seis vitórias em dez duelos. Além disso, principalmente devido ao desfalque do atacante, Brendan Rodgers viu “surgir” em seu time a estrela de Daniel Sturridge. O inglês marcou, em 19 jogos de Campeonato Inglês pelos Reds, 14 gols e se tornou indispensável para o time, que ainda teve em Philippe Coutinho outra agradável surpresa na segunda metade do torneio.

Depois de ter flertado com o Arsenal, rival do Liverpool, e ter passado por mais uma longa suspensão por uma atitude moralmente duvidosa, o uruguaio ganhou da torcida e do clube a chance de se redimir e focar sua energia apenas no que é bom para o time. Precisará agora, no entanto, se adaptar à presença de Sturridge como centroavante e ao fato de que não é mais tão indispensável como era antes da punição.

Aberto pela esquerda ou atrás do camisa 15, é improvável que Suárez consiga números como na temporada passada, quando marcou 23 gols em 33 partidas da Premier League, mesmo que quatro desses tenham acontecido já quando passou a jogar mais recuado pela presença de Sturridge. Porém, quando contar com a volta de Coutinho, que faz boa dupla com Sturridge desde janeiro, o uruguaio terá a responsabilidade dividida de forma muito mais justa do que nas campanhas passadas. Um peso a menos para o uruguaio.