Riccardo Saponara está na Fiorentina desde janeiro de 2017, emprestado pelo Empoli. Passou um ano jogando bola ao lado de Davide Astori, capitão da equipe, encontrado morto em seu quarto de hotel, na concentração para o jogo contra a Udinese no último domingo. Tempo suficiente para que essa tragédia do futebol italiano significasse para Saponara a perda de um amigo próximo, como ele deixou claro em uma bonita carta publicada em seu Instagram.

LEIA MAIS: Antes do adiamento, capitães de Milan e Inter decidiram não jogar o dérbi em respeito a Astori

A carta detalha o cotidiano de Astori, os pequenos gestos e gostos que construíam sua personalidade. Aparentemente, era um fã de cinema, pelas referências de Saponara à Sociedade dos Poetas Mortos e a La La Land, musical indicado ao Oscar do ano passado. Apenas uma das muitas homenagens bonitas ao capitão da Fiorentina. Traduzimos a partir do Football Italia e também trazemos outras mensagens lembrando Astori.

“Ó capitão, meu capitão. Por que você não desceu para tomar café da manhã conosco? Por que não tirou os sapatos do quarto de Marco (Sportiello) e desceu para beber seu habitual suco de laranja? Agora nos dizem que a vida segue, que precisamos olhar para frente e nos levantar novamente, mas qual será o sabor da sua ausência? Quem chegará todas as manhãs ao café para nos esquentar com seu sorriso? Quem nos perguntará, com curiosidade, o que fizemos na noite anterior antes de dar risada sobre isso? Quem vai dar bronca nos garotos e se responsabilizará pelos mais experientes?

Quem formará o círculo para jogar dois toques ou quem vai atropelar Marco no PlayStation? Com quem vamos debater episódios de Masterchef, restaurantes de Florença, séries de TV e partidas que jogamos? Em quem eu apoiarei meu ombro durante o almoço depois de um trabalho físico duro? Volte, você ainda precisa terminar de ver La La Land para analisá-lo como você fazia com qualquer filme que saía. Volte para Florença, estão esperando para renovar seu contrato e reconhecer as coisas boas e positivas que você nos dá diariamente. Saia dessa merda deste quarto, estamos esperando você quando os treinos forem retomados.

Na vida, há pessoas que você sempre conhecerá, mas nunca terá uma ligação com elas. E há as que são como Davide, que imediatamente o recebe com um simples  ‘Bem-vindo à Florença, Ricky’. Onde quer que você esteja agora, continue defendendo nossas traves e nos iluminando para o caminho certo. Ó capitão, meu capitão. Sempre meu capitão”.

Marco Benassi, meia da Fiorentina

“Não consigo dar uma explicação para tudo isso. Tenho apenas a certeza de que você permanecerá para sempre no coração das pessoas que conheceu. A pessoa que você era faz com que isso seja inevitável. Obrigado por tudo, você sempre será nosso capitão. Descanse em paz, meu amigo”

Mattia Perin, goleiro do Genoa e da seleção italiana

“Eu não acredito que seja real. Não consigo entender. É um daqueles golpes que quebram suas pernas e dividem seu coração. Passamos tantos momentos fantásticos juntos. Em campo, você era um adversário humilde e justo, acima de tudo forte e sempre o último a desistir e o primeiro e passar uma palavra de conforto. Outros momentos, mais do que fantásticos, passamos em Coverciano (Centro de Treinamento da Federação Italiana), principalmente durante almoços e jantares no bico da mesa, onde tivemos tantas risadas. É assim que eu vou me lembrar de você, com um sorriso no rosto. Adeus, Davidone”.

Germán Pezzella, zagueiro da Fiorentina

“Não tenho palavras para descrever o que estou sentindo. Desde o primeiro dia, você esteve ao meu lado, ajudando e me dando conselhos. Um homem sincero, que dava tudo pelos seus companheiros. Eu aprendi tanto com você e minha alma está chorando ao pensar que eu nunca o terei ao meu lado, fazendo o que amamos e aproveitando sua presença todos os dias. Obrigado por tudo, CAPITÃO. Você sempre será um AMIGO presente”.

Leonardo Bonucci, zagueiro do Milan

“Olá, Grande Asto. Foi assim que eu o chamei quando nos conhecemos, em um jogo em que nos enfrentamos ou em uma reunião da seleção. Um sorriso, um abraço – um de verdade -, uma pessoa que era justa, honesta e humilde. Quantas vezes não rimos, brincamos e comemoramos juntos. Quantas conversas não tivemos na mesa, lado a lado, ou no corredor de Coverciano que nos leva aos quartos, aos gramados. ‘Vamos lá, Leo, dê aquele passe que só você sabe dar’ era o que você repetia para mim durante o treino tático. Com aquele sorriso que nunca terminava e que deixava claro o quanto de bondade havia em você. Você foi jogar futebol lá em cima e o fará com o mesmo grande sorriso. O sorriso que você sempre teve”.

Nenad Tomovic, zagueiro do Chievo, emprestado pela Fiorentina

“Davide, meu amigo, há pouco que posso dizer. Você era uma pessoa especial. Foi uma honra jogar ao seu lado. Foi uma honra estar na sua companhia. Davide, você era uma das pessoas mais inteligentes que já conheci. Apenas direi que vamos nos encontrar novamente e tomar outro copo de vinho juntos. Eu realmente gostaria que você estivesse esperando por mim quando minha hora chegar. Especialmente você. Seu amigo, Nenad”.

Federico Bernardeschi, atacante da Juventus, ex-Fiorentina

“Com meus olhos cheios de lágrimas, e o coração partido, eu digo obrigado, meu amigo, pela sua humildade, sua bondade, seus ensinamentos, sua amizade. Vou sentir sua falta e carregá-lo para sempre em meu coração. Cuidar da sua família, da sua parceira, da sua pequena princesa. Sinto sua falta”.

Gianluigi Buffon, goleiro da Juventus

“Olá, querido Asto. Eu raramente expresso publicamente o que penso sobre uma pessoa porque sempre permito que a beleza e a natureza singular das relações humanas, do respeito recíproco e da afeição, não sejam usadas de maneira errada por aqueles que não têm a decência de respeitar certas ligações. No seu caso, eu sinto a necessidade de fazer uma exceção à regra porque você tem uma jovem esposa e uma família que estão sofrendo, mas acima de tudo uma pequena garota, que merece saber que seu pai era uma PESSOA MUITO BOA… uma pessoa REALMENTE MUITO BOA. Você era a melhor expressão de uma palavra fora de moda, uma que as pessoas deixaram para trás, com valores como altruísmo, elegância, educação e respeito pelos outros. Elogios genuínos. Você era uma das melhores figuras do esporte que eu já conheci. Descanse em paz. Seu doido Gigi”.

Khouma Babacar, atacante do Sassuolo, ex-Fiorentina

“Não tenho palavras para descrever esta pessoa maravilhosa. Não estou falando dentro de campo, mas fora dele. Sempre sorrindo, você era a primeira pessoa a correr até mim quando eu marcava um gol, mesmo se tivesse que correr mais de 70 metros para me alcançar. Tchau, amigo. Condolências para toda sua família e para o futebol porque agora há poucos homens como ele no mundo”.