Em meio ao evento Soccerex, em Portugal, a associação European Leagues, que representa 36 ligas pela Europa com mais de 950 clubes, apresentou medidas em defesa dos campeonatos domésticos, diante da discussão de repaginação das competições europeias conduzida pela Uefa.

A instituição organizadora da Champions League e da Liga Europa quer renovar seus torneios a partir de 2024 e tem discutido novos formatos com a Associação de Clubes Europeus (ECA, na sigla em inglês). Uma proposta inicial dos grandes clubes previa uma nova Liga dos Campeões com 24 dos 32 times fixos e a criação de uma terceira competição continental, formando um sistema de pirâmide de níveis com direito a acesso e rebaixamento.

Isso acabaria com o sistema atual, em que a classificação às competições europeias se dá por meio do desempenho dos clubes em suas ligas domésticas.

A European Leagues dá as boas-vindas a um sistema de três divisões, mas defende que qualquer alteração não aconteça em detrimento das competições nacionais. Além disso, pede que apenas os vencedores das futuras divisões inferiores das competições europeias sejam promovidos e que só o campeão da Champions League ganhe vaga na edição seguinte – como acontece hoje.

Além da proteção do status atual das ligas nacionais, a associação defende que os pagamentos de solidariedade feitos aos clubes que não se classificam às competições europeias aumentem dos atuais 7,3% dos rendimentos comerciais dos torneios de clubes da Uefa para 20%, promovendo uma maior igualdade entre as equipes.

Por fim, a European Leagues quer que o número de datas para o calendário de competições continentais permaneça em 17 e marcadas para dias de semana, diferente da ideia ventilada por grandes clubes de que uma nova Liga dos Campeões tenha jogos aos finais de semana, tomando o espaço das competições nacionais.

A intenção dos principais clubes do mundo em criar uma superliga europeia, revelada por documentos vazados pelo Football Leaks em novembro do ano passado, seria bastante prejudicial a clubes menores de todos os países europeus, colocando em risco a própria existência de torneios como a Premier League, a Bundesliga e La Liga, o que dá razão à articulação por meio da European Leagues.