Lição para vida: nunca bata um pênalti com cavadinha no último lance de um clássico empatado

Arturo González, aos 50 minutos do segundo tempo, poderia dar a vitória para o Atletas contra o Chivas, mas...

O dérbi de Guadalajara estava empatado em 1 a 1 quando, aos 50 minutos do segundo tempo, o Atlas teve um pênalti a seu favor. Estava a 11 metros de bater o Chivas. O meia Arturo González, 20 anos, assumiu a responsabilidade. Um ato de coragem, mas a confiança subiu à cabeça. O garoto decidiu bater de cavadinha e facilitou a defesa do goleiro Luis Michel. A torcida deve estar querendo a sua cabeça. Por outro lado, certamente González aprendeu uma lição para a vida: nunca bater um pênalti desse jeito no último lance de um clássico.

LEIA MAIS: Jovem do Benfica bateu pênalti com uma cavadinha muito pior que aquela do Pato