EMELEC
por Gabriel Dudziak

Club Sport Emelec
Estadio: George Capwell, Guaiaquil (30.016 lugares)
Site: emelec.com.ec
Técnico: Marcelo Fleitas
Destaques: Fernando Gaibor e Marlon de Jesús
Principais títulos: 10 Campeonatos Equatorianos
Na Libertadores: 1 semifinal (1995)

Um time em reconstrução e com um jovem técnico estreando no cargo. É dessa maneira que o Emelec chega à Libertadores, depois de um 2011 de altos e baixos. No primeiro semestre o 3-6-1 do defensivo time montado por Omar Asad deu liga e faturou o Primera Etapa. No segundo semestre, Asad foi para o San Lorenzo da Argentina e Juan Ramón Carrasco, hoje no Atlético Parananense, chegou para manter o bom momento. Não conseguiu. Querendo ser ofensivo com um time de notável potencial na defesa, Carrasco foi praticamente expulso do clube, abrindo vaga para Marcelo Fleitas, ex-jogador do Emelec e hoje com 38 anos. Em quatro jogos, Fleitas não conseguiu fazer muito e o Emelec ficou com o vice nacional, após derrota para o Deportivo Quito na decisão. Em 2012 os Electricos devem jogar a Libertadores com duas linhas de quatro, seguindo com a aposta no talento do jovem volante Fernando Gaibor, 20 anos e camisa 10 do time.

FLAMENGO
por Leandro Stein

Clube de Regatas do Flamengo
Estádio: Engenhão (46.931 lugares)
Site: flamengo.com.br
Técnico: Joel Santana
Destaques: Felipe, Léo Moura, Ronaldinho Gaúcho, Vágner Love
Principais títulos: 1 Mundial, 1 Libertadores, 1 Mercosul, 5 Brasileiros, 2 Copas do Brasil, 1 Rio-São Paulo, 32 Cariocas
Na Libertadores: 1 título (1981)

As atuações pouco convincentes contra o Real Potosí são problemas pequenos diante da tempestade vivida atualmente na Gávea. A prenunciada saída de Vanderlei Luxemburgo enfim se cumpriu, acompanhada de uma profunda crise política e agravada também pelos atrasos na folha de pagamentos do elenco. A recuperação da moral do clube está diretamente ligada à quinta passagem de Joel Santana, que terá pouco mais de uma semana de contato com o elenco até a estreia contra o Lanús. O time – mais do mesmo visto em 2011 durante a pré-Libertadores – ao menos ganhará os primeiros reforços significativos para a fase de grupos. Marcos González se candidata a solucionar a insegurança crônica do miolo de zaga, enquanto Vágner Love, em meio às juras de amor, aumenta o poderio do ataque. Léo Moura e Felipe começam o ano acumulando boas atuações e, no meio, Darío Botinelli tenta convencer que merece um espaço. E, a despeito de todos os conflitos extra-campo, Ronaldinho Gaúcho tem cumprido bem seu papel na equipe, ampliando o favoritismo do Fla.

LANÚS
por Marcus Alves

Club Atlético Lanús
Estádio: Ciudad de Lanús (46.619 lugares)
Site: clublanus.com
Técnico: Gabriel Schürrer
Destaques: Agustín Marchesín, Carlos Araujo, Mauricio Pereyra, Diego Valeri, Mario Regueiro e Mariano Pavone
Principais títulos: 1 Copa Conmebol, 1 Argentino
Na Libertadores: 1 oitavas-de-final (2008)

Baixo perfil. Um termo que pouco se usa no Brasil, mas que lá fora serve para caracterizar um grupo alheio a excentricidades. É o caso do Lanús. Na chegada de Mauro Camoranesi, no ano passado, o primeiro pedido do ex-jogador da Juventus foi que recebesse o mesmo tratamento dos demais. Não que Gabriel Schürrer, zagueiro que fez carreira na Europa, precisasse ouvir. Linha dura, o técnico de 40 anos sonha alto. Sonhava com o Flamengo na fase de grupos. Sonho realizado. Sonha com um jogo que leve a bola até o artilheiro Mariano Pavone. Não lhe faltam peças para municiar o veterano. Desde o excelente uruguaio Mauricio Pereyra, passando pelo já experiente Diego Valeri e chegando ao também uruguaio Mario Regueiro. O Lanús é o clube mais organizado da Argentina. Na Libertadores, precisa deixar um pouco o papel de bom de moço de lado para deslanchar. Aumentar o perfil.

OLIMPIA
por Pedro Venâncio

Club Olimpia
Estádio: Manuel Ferreira (22.000 lugares)
Site: olimpia.com.py
Técnico: Gerardo Pelusso
Destaques: Pablo Zeballos, Julio César Cáceres, Matías Donnet, Maxi Biancucchi
Principais títulos: 1 Mundial, 3 Libertadores, 1 Supercopa, 39 Paraguaios
Na Libertadores: 3 títulos (1979, 90 e 2002)

Campeão do Torneo Clausura no ano passado após 11 anos de jejum, o Olimpia se prepara para a Copa Libertadores com o objetivo de, no mínimo, passar de fase. Para isso, o técnico Gerardo Pelusso conta com um elenco bastante experiente, no qual se destaca o centroavante Pablo Zeballos, vice-artilheiro do último Campeonato Paraguaio com 12. Lesionado há um mês, ele poderá perder o início da competição, mas poderá ser fundamental nos jogos decisivos. No total, cinco jogadores da equipe já passaram pelo futebol brasileiro, incluindo Maxi Biancucchi, ex-Flamengo, e Julio César Cáceres, ex-Atlético Mineiro. Entre os reforços, destaque para o lateral direito Renzo Revoredo, que disputou a Copa América de 2011 pela seleção peruana.