JUAN AURICH
Por Gabriel Dudziak

Club Social Deportivo Cultural Juan Aurich de la Victoria
Estádio: Elías Aguirre, Chiclayo (23.000 lugares)
Site: juanaurich.net
Técnico: Diego Umaña
Destaques: William Chiroque, Diego Penny e Luis Tejada
Principais títulos: 1 Campeonato Peruano
Na Libertadores: Fase de grupos (1969 e 2010)

O campeão peruano de 2011 chega sem grandes responsabilidades, mas com grandes sonhos para a Libertadores deste ano. Depois de ficar o ano passado inteiro na cola do Alianza Lima, a equipe de Chiclayo se superou na final e buscou o título inédito nos pênaltis, depois de perder o primeiro jogo da decisão, ganhar o segundo e empatar no tempo normal da terceira partida. Para tentar sobrepujar o favoritismo dos brasileiros no grupo 1, o Juan Aurich, do técnico colombiano Diego Umaña – no clube desde 2010 -, aposta na ótima defesa – a melhor do campeonato peruano passado, com 23 gols sofridos em 33 jogos – e no poder de decisão de seu centroavante, o panamenho Luis Tejada, autor de 17 gols no campeonato nacional. Conseguir uma vaga nas oitavas seria um feito histórico para o Ciclón del Norte, mas a mera terceira participação na Libertadores já pode ser considerada uma conquista.

INTERNACIONAL
por Felipe Lobo

Sport Club Internacional
Estádio: Beira-Rio (56.000 lugares)
Site: internacional.com.br
Técnico: Dorival Júnior
Destaques: Andrés D’Alessandro, Leandro Damião, Oscar
Principais títulos: 1 Mundial, 2 Libertadores, 3 Campeonatos Brasileiros, 1 Copa Sul-Americana, 1 Copa do Brasil, 40 Campeonatos Gaúchos
Na Libertadores: 2 títulos (2006, 2010)

Um time que custou caro e que conseguiu a classificação para a Libertadores como quinto colocado no Campeonato Brasileiro. Na primeira fase, passou pelo playoff em um confronto duro com o Once Caldas. Mesmo assim, é um time que chega com força. Tem D’Alessandro como grande nome, mas Leandro Damião é também um nome de destaque. Os coadjuvantes também são excelentes, como Oscar e Dagoberto. O problema é a defesa, que não oferece segurança. Irá brigar não só pela classificação, mas pela liderança do Grupo 8. Junto com o Santos, é favorito a avançar.

SANTOS
por Ubiratan Leal

Santos Futebol Clube
Estádio: Vila Belmiro (15.800 lugares)
Site: santosfc.com.br
Técnico: Muricy Ramalho
Destaques: Neymar, Paulo Henrique Ganso, Borges, Arouca, Rafael
Principais títulos: 2 Mundiais, 3 Libertadores, 1 Conmebol, 8 Brasileiros, 1 Copa do Brasil, 5 Rio-São Paulo, 19 Paulistas
Na Libertadores: 3 títulos (1962, 1963 e 2011)

O atual campeão da Libertadores tem um desafio interessante esse ano: voltar a jogar o futebol competitivo do primeiro semestre de 2011. Depois de meses usando a preparação para o Mundial como álibi, o Peixe ficou sem referência. Agora, com a temporada zerada, é hora de voltar a jogar um futebol de alto nível para se colocar novamente entre as equipes mais fortes do continente. E há elementos para isso. Neymar é o maior jogador atuando nas Américas hoje. Borges faz gols com naturalidade, Ganso (e esse precisa recuperar espaço urgentemente) e Arouca dão talento ao meio-campo. O bando de reservas também oferece muitas opções. Ainda há questões para resolver na defesa, mas Muricy tem histórico bom nesse item. A equipe, como um todo, só precisa reencontrar seu ritmo, perdido no segundo semestre de 2011.

THE STRONGEST
Por Gabriel Dudziak

Club The Strongest
Estadio: Hernando Siles, La Paz (42.000 lugares)
Site: clubthestrongest.com
Técnico: Mauricio Soria
Destaques: Pablo Escobar, Alejandro Chumacero e Daniel Vaca
Principais títulos: 8 Bolivianos
Na Libertadores: 2 oitavas de final (1990 e 1994)

Altitude e atitude são as palavras de ordem para o The Strongest tentar bater Internacional e Santos, além de despachar o Juan Aurich. Altitude garantida pelos 3.200 metros de La Paz. Atitude evocada do time que cresceu no mata-mata e foi campeão nacional no segundo semestre de 2011. Após uma classificação na bacia das almas – em quarto lugar em um grupo com seis times – os Tigres golearam o Bolívar, golearam o Oriente Petrolero e venceram o Universitario de Sucre na decisão, conquistando o oitavo título nacional. Em seu território a equipe do boliviano Mauricio Soria – que chegou ao clube em  junho do ano passado – costuma atuar com três atacantes, com destaque para Pablo Escobar, capitão do time e vice-artilheiro do Apertura da Bolívia, com 13 gols em 18 jogos. A defesa, porém, não é das melhores, de forma que o The Strongest deve ser presa fácil nos jogos ao nível do mar – ou próximos disso – em Chiclayo, Santos e Porto Alegre.