Champions LeagueEuropaLeste Europeu

Metalist é excluído da LC por corrupção; PAOK entra no lugar

A Uefa anunciou que o Metalist Kharkiv foi excluído de todas as competições da entidade por manipulação de resultados em 2008, em um jogo do Campeonato Ucraniano. O PAOK,da Grécia, irá substituir o clube ucraniano na fase de playoff da Liga dos Campeões, contra o Schalke 04. A equipe de Kharkiv foi punida pela Federação Ucraniana de Futebol (UFF), mas recorreu ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), que manteve a decisão. Como manipulação de resultados é um dos critérios que impede o clube de participar das competições europeias, o Metalist foi punido com a exclusão da Liga dos Campeões, mas recorreu da decisão. Nesta quarta, o recurso foi negado. O clube ainda tem a opção de recorrer ao TAS, que julga em última instância o caso. O Metalist Kharkiv é o time dos brasileiros Cleiton Xavier, Diego Souza, Rodrigo Moledo, Márcio Azevedo e Marlos.

Segundo a Uefa, será montado um painel de emergência ainda nesta quarta-feira com cinco membros do Comitê Executivo da entidade para tratar do caso. A reunião irá considerar as consequências da decisão na Liga dos Campeões. O clube eliminou o PAOK, da Grécia, na terceira fase preliminar da competição e foi sorteado para enfrentar o Schalke 04 na fase playoff da competição, a última preliminar antes da fase de grupos – razão pela qual o PAOK foi escolhido pela Uefa como herdeiro da vaga. O time grego não será substituído na Liga Europa. O seu adversário na fase de playoff, Maccabi Tel Aviv, está automaticamente classificado para a fase de grupos do torneio.

A Federação Ucraniana de Futebol puniu o Metalist Kharkiv e o Karpaty com multa de € 19 mil por manipularem o resultado de uma partida de abril de 2008. Um jogador do Metalist envolvido no esquema foi punido com cinco anos de suspensão, enquanto outros cinco jogadores receberam três anos de gancho. O diretor do Metalist na época, Yevhen Krasnikov foi banido de trabalhar com qualquer atividade relacionada a futebol por cinco anos. O TAS também deu razão à UFF em tirar o segundo lugar do Metalist na temporada passada.

Baseado nessa decisão, a Uefa resolveu punir o Metalist por infringir três artigos do código disciplinar da Liga dos Campeões. O primeiro, artigo 2.04g, diz que o clube não deve estar envolvido desde abril de 2007 em “nenhuma atividade com o objetivo de manipular ou influenciar o resultado de uma partida em nível nacional ou internacional”. O próximo artigo, 2.05, diz que a Uefa pode excluir um time por um ano se concluir que o time estava direta ou indiretamente envolvido em manipulação de resultados. O artigo 2.10 diz que se houver alguma dúvida em relação ao clube cumprir os critérios de admissão em uma competição, o secretário-geral da Uefa pode encaminhar o caso para o órgão disciplinar da entidade decidir sobre a admissão ou não do clube.

Se o Metalist optar por entrar com recurso no TAS contra a exclusão da Liga dos Campeões, o recurso pode ser julgado enquanto o time disputa a fase final do playoff contra o Schalke 04, nos próximos dias 21 e 27 de agosto. Segundo seu código disciplinar, a Uefa pode manter investigações a qualquer momento da competição sobre esse tipo de caso e, mesmo que o torneio já tenha terminado, pode punir o clube com multa ou suspensão de competições futuras.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo