Leste Europeu

Início arrebatador: Alex Teixeira já fez 14 gols em apenas 10 rodadas na Ucrânia

O Shakhtar Donetsk sofreu um desmanche sucessivo nas últimas temporadas. Mkhitaryan, Douglas Costa, Willian e Fernandinho encabeçaram a debandada, que gerou milhões aos cofres de Rinat Akhmetov, mas não foram repostos à altura. E não necessariamente por falta de empenho do clube, mas também pela guerra que o leste da Ucrânia atravessa e espanta os reforços. Assim, os Kroty tiveram que encarregar o protagonismo a outros jogadores do elenco. E, nesta temporada, ninguém tem se saído melhor do que Alex Teixeira. O atacante chegou a 14 gols em 10 rodadas do Campeonato Ucraniano. Neste sábado, marcou os dois da vitória sobre o Chornomorets Odessa.

Desde a saída de Mkhitaryan para o Borussia Dortmund, Alex Teixeira faz a função do armênio. O antigo ponta se tornou meia central no 4-2-3-1 de Mircea Lucescu. E, aos poucos, se tornou mais participativo no ataque. Apesar do vice em 2014/15, o brasileiro foi um dos melhores do Campeonato Ucraniano, marcando 17 gols em 22 partidas. Desempenho que já tinha melhorado muito no segundo turno, quando marcou 14 gols em 11 aparições. Ritmo mantido neste início de temporada. Dos campeonatos europeus em andamento, apenas Robert Lewandowski tem média superior entre os jogadores com pelo menos cinco gols anotados.

Jogador de qualidades ofensivas desde quando surgiu nas categorias de base do Vasco, Alex Teixeira combina velocidade e capacidade nas finalizações. Aproveita bem os espaços abertos por Gladky e Eduardo da Silva, que costumam se revezar no comando do ataque. E tem ajudado bastante o Shakhtar na briga para retomar a hegemonia no Campeonato Ucraniano. A equipe assumiu a liderança na tabela, com a mesma pontuação e um jogo a mais que o Dynamo Kiev. Diferença mínima, levando em conta que o clássico acontece na próxima rodada, daqui a duas semanas.

Na Champions, contudo, Alex Teixeira tem decepcionado junto com o Shakhtar. O clube pegou duas pedreiras, mas não marcou um gol sequer e levou sete nos confrontos com o Real Madrid e o Paris Saint-Germain. Talvez o sinal de que a concorrência dentro da Ucrânia dê brechas para o meia apresentar números espetaculares. Mesmo assim, não será surpreendente se ele começar a ser sondado por algum grande centro nas próximas janelas de transferência. O sucesso de outros jogadores que arrebentavam em Donetsk pesa a seu favor.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo