O futebol começou a voltar na Europa, mas ainda estamos longe de saber qual está sendo o impacto da pandemia do novo coronavírus nos clubes, em termos financeiros. Mesmo com muitos deles falando sobre as questões envolvendo as perdas com direitos de TV e bilheteria, para ficar nos principais, ainda é difícil dimensionar. Uma coisa, porém, parece certa: o próximo mercado de transferências não deve ter clubes fazendo loucuras e pagando mais de € 100 milhões por um jogador. É o que acredita o diretor esportivo do PSG, o brasileiro Leonardo.

“O que aconteceu afetou o planeta inteiro e também irá afetar o mercado de transferências”, disse Leonardo em entrevista ao Journal Du Dimanche. “As finanças dos clubes foram impactadas e inclusive as nossas também. As pessoas dizem que nós perdemos por volta de € 200 milhões, e sim, é provavelmente algo próximo a isso”.

“Eu não acredito que nós teremos qualquer transferência de € 100 milhões neste verão, já que ninguém poderá gastar essa quantidade de dinheiro, nem mesmo nós. Nós tivemos prejuízos significativos no PSG”, disse ainda o diretor esportivo.

Alguns jogadores que estava sendo especulados no clube parisiense, como Sergej Milinkovic-Savic, da Lazio, e Kalidou Koulibaly, do Napoli, têm seus preços avaliados em mais de € 100 milhões, o que deve tornar a contratação de qualquer um deles mais complicada. Será preciso fazer negócios mais parecidos com o que vemos na NBA, com trocas entre os clubes envolvendo vários jogadores.

Segundo o Le10Sport.com, Leonardo chegou a fazer uma proposta de € 60 milhões por Milinkovic-Savic, mas ficou muito abaixo do preço que a Lazio está disposta a ouvir para negociar o sérvio.

“Nós teremos que ser muito mais criativos, encontrar soluções que não sejam tão caras. Com alguns ajustes, independente daqueles que forem sair, nosso elenco pode continuar competitivo”, continuou o ex-jogador.

Leonardo confirmou a saída de Edinson Cavani, 33 anos, e Thiago Silva, 35, que ficam sem contrato ao final da temporada. Além deles, Layvin Kurzawa, outro jogador que fica sem contrato, também deixará o clube. Ele chegou do Monaco em 2015 por € 25 milhões (€ 26,4 milhões, corrigida a inflação).

Neymar, principal jogador do PSG, tentou forçar uma transferência para o Barcelona na janela de verão antes do início da temporada 2019/20, mas não conseguiu. Os dirigentes parisienses bateram o pé e ele ficou. O contrato do brasileiro vai até 2022 e, por isso, para que ele saia o clube precisa acertar a proposta que vier. E se o PSG não poderá gastar € 100 milhões, que dirá o Barcelona, que vive com as finanças estranguladas com seus altíssimos gastos com salários.