Há alguns anos, Gaël Kakuta era apontado como uma das promessas mais interessantes do futebol europeu. O ponta chegou ao Chelsea quando tinha 16 anos e fazia maravilhas pelas seleções francesas de base. Passou por todos os níveis dos Bleus desde o sub-16, chegando ao vice-campeonato no Europeu Sub-17 de 2008 e ao título no Europeu Sub-19 de 2010, quando acabou eleito o melhor jogador da competição. Os prognósticos, porém, nunca se cumpriram. O prodígio rodou por seis empréstimos enquanto tinha contrato com o Chelsea, o mesmo número de partidas que fez pelos Blues na Premier League. Vendido ao Sevilla, também não agradou, até ser repassado ao Hebei China Fortune. Atualmente, está emprestado ao Deportivo de La Coruña, mas esquenta o banco.

Diante da falta de perspectivas, Kakuta refez os seus planos aos 25 anos. Desistiu de vez da seleção francesa. Desde 2011 já era sondado para defender a República Democrática do Congo, país de seus familiares. Cedeu apenas agora. E, nesta terça, estreou com a camisa dos Leopardos. Apesar da derrota por 2 a 1, foi um dos destaques da equipe no amistoso contra o Quênia. Inclusive, marcou o seu primeiro gol pela “nova nação”, em belíssima cobrança de falta. Em uma seleção que conta com bom elenco e aparece bem nas Eliminatórias da Copa, somando seis pontos em duas rodadas, as chances de disputar uma Copa do Mundo são concretas.

 


Os comentários estão desativados.