O curioso caso de espionagem do Leeds do técnico Marcelo Bielsa rendeu multa de 200 mil libras, segundo decisão da English Football League (EFL) nesta segunda-feira. Na Inglaterra ganhou esse ar de espionagem o que, na verdade, é observação técnica conduzida pelo técnico argentino. A EFL considerou que o Leeds, assim, quebrou a regra sobre tratar os times com boa fé.

LEIA TAMBÉM: O prisioneiro de guerra alemão que virou lenda no futebol inglês: A vida de Bert Trautmann será contada em um filme

A polêmica surgiu antes do jogo do Leeds com o Derby County. Um funcionário do Leeds foi encontrado fora do campo de treinamento do Derby antes do jogo entre os dois times, no dia 10. O técnico Marcelo Bielsa informou, depois da polêmica, que tinha sim enviado um funcionário para observar cada um dos times que o Leeds enfrentou na temporada. Mais do que isso, o técnico afirmou que não fez nada que era proibido – o que ele tem razão, afinal, o observador não entrou irregularmente e observava o treinamento de um lugar público. A entrevista que Bielsa falou sobre o assunto virou uma aula sobre como o argentino trabalha.

O Leeds recebeu uma reprimenda formal da EFL que, além disso, irá criar uma nova regra para proibir os clubes de observarem os treinamentos dos adversários nas 72 horas anteriores ao jogo, a não ser que sejam convidados para fazer isso. A EFL ainda disse, em comunicado, que a conduta do Leeds “ficou significativamente abaixo dos padrões esperados” e que “não deve ser repetido”. Aqui se vê uma diferença de visão de mundo da Inglaterra em relação ao Brasil, por exemplo: vale mais o espírito da regra na sua interpretação do que sua literalidade. Isso tem um impacto na forma de agir que, nesse caso, fica bastante clara.

“As sanções impostas destacam como ações como essas não podem ser toleradas e atuam como uma clara dissuasão caso qualquer clube busque ter uma conduta ruim no futuro. Nós iremos seguir adiante desse incidente e iniciar as discussões sobre a introdução de um regulamento específico em uma reunião com todos os clubes no final deste mês”, disse o executivo-chefe da EFL, Shaun Harvey. A Football Association (FA) também emitiu um comunicado formal de aviso ao Leeds, Bielsa e ao analista de vídeo. “A FA tomará as medidas apropriadas se novas evidências dessa natureza vierem à tona no futuro”, disse um porta-voz da entidade.

O Leeds adotou uma postura clara de assumir o que foi feito e acatar a decisão da punição sem qualquer contestação. “Nós aceitamos que mesmo que não tenhamos infringido nenhuma regra específica, nós ficamos aquém do padrão esperado pela EFL. Nós pedimos desculpas por agir de um modo que foi julgado culturalmente inaceitável pelo futebol inglês e gostaríamos de agradecer Shaun Harvey e a EFL pela maneira que eles conduziram suas investigações. Nosso foco agora pode voltar às questões em campo”, diz comunicado do Leeds.

O assunto dividiu opiniões na Inglaterra. Alguns consideraram o que o Leeds fez como algo normal, ou, ao menos, nada de mais. Outros, como Frank Lampard, técnico do Derby County, disse que era antiético, assim como o técnico do Ipswich Town, Paul Lambert, que disse que “não era certo”. Alguns chegaram a pedir a perda de pontos do Leeds pelo incidente, o que parecia um claro exagero. A multa é uma forma de punir de forma mais adequada, já que a liga considerou como uma violação.