A carreira de Ezequiel Lavezzi chegou ao fim. Fora do radar desde 2016, quando foi à China fazer o seu pé de meia com a camisa do Hebei Fortune, o atacante argentino de 34 anos anunciou sua aposentadoria, por meio de um post de Instagram, colocando ponto final a uma bela carreira, na qual foi peça central de dois grandes projetos do futebol europeu na última década: o renascimento do Napoli e a ascensão do Paris Saint-Germain.

Lavezzi explodiu com a camisa do San Lorenzo, campeão do Clausura de 2007, e foi contratado pelo Napoli, que havia acabado de retornar à elite do Campeonato Italiano depois da falência que o obrigou a recomeçar a partir da terceira divisão. Causou impacto imediato sendo um dos artilheiros do time naquela temporada 2007/08, com 11 gols, e formaria um trio de ataque marcante com Edinson Cavani e Marek Hamsik nos anos seguintes.

Ajudou a reestabelecer o Napoli no topo da tabela da Serie A, com 48 gols em 188 partidas. Em 2012, decidiu embarcar em um novo desafio. O Paris Saint-Germain contava com o dinheiro do Catar, o treinador Carlo Ancelotti e Zlatan Ibrahimovic estava prestes a chegar. O argentino também se reencontraria em breve com Cavani e o plano era dominar primeiro a França e, depois, a Europa.

A parte inicial deu certo. Acabou formando outro trio importante na capital francesa, com Cavani deslocado à ponta direita ou Lucas Moura por ali. Ficou quatro anos no PSG, ganhando o título nacional em todos eles. Somou 35 gols em 161 jogos antes de sair, em 2016, para trabalhar no Hebei Fortune. Foi campeão olímpico pela Argentina em 2008, defendeu a seleção 51 vezes e participou da sequência de três vices entre a Copa do Mundo de 2014 e a Copa América de 2016.

“Foram anos incríveis nesta história. Anos marcados por aprendizado, momentos únicos e muitas memórias que ficarão no meu coração para sempre. Serei sempre grato por aqueles que ficaram ao meu lado ao longo desta jornada. Com muita alegria, digo adeus para a fase mais incrível que a vida me deu. Eu fui extremamente feliz”, despediu-se.

.

.