Argentina e México se cruzaram no amistoso desta terça-feira, em San Antonio, atravessando momentos distintos. Enquanto Lionel Scaloni conduz sua renovação na Albiceleste sem os principais nomes, o México exala confiança sob as ordens de Tata Martino, especialmente após a vitória sobre os Estados Unidos no compromisso anterior. No entanto, a quem esperava um triunfo de El Tri desta vez, o que se viu foi um baile dos argentinos. Lautaro Martínez arrebentou com a defesa mexicana e, sem perdoar os erros dos adversários, anotou três gols no passeio por 4 a 0 – com todos os tentos anotados ainda no primeiro tempo.

Lautaro estava inspiradíssimo na noite. Porém, é preciso se considerar a maneira como o México não se cansava de cometer erros defensivos. Cada saída de bola era um suplício para El Tri e, assim, a Argentina maltratou com objetividade. Lautaro abriu o placar aos 17 minutos. A roubada de bola de Leandro Paredes foi decisiva, mas o atacante também foi muito bem no lance, ao encarar a marcação e encontrar o espaço para bater no contrapé de Guillermo Ochoa. Cinco minutos depois, já veio o segundo. Lautaro brigou pela bola na frente e depois recebeu a enfiada perfeita de Exequiel Palacios.

A Argentina ganharia um pênalti aos 33, após toque de mão dentro da área. Lautaro queria bater, mas Paredes pegou a bola do companheiro e ele mesmo se encarregou de balançar as redes. Nada que atrapalhasse a tripleta do atacante, que a conseguiu seis minutos depois. Em uma sequência de erros patética do México, o camisa 22 roubou a bola na entrada da área e mandou Ochoa buscar a bola lá dentro.

Scaloni, que já havia escalado novatos como Alexis Mac Allister e Exequiel Palacios entre os titulares, realizou mais testes no segundo tempo, recheando o time de garotos – entre eles Nicolás Domínguez, Adolfo Gaich e Leonardo Balerdi, todos convocados à seleção principal pela primeira vez nesta Data Fifa. Nem assim os mexicanos conseguiram fazer o gol de honra. E o detalhe é que Tata Martino mal realizou alterações, mantendo as suas principais peças, entre elas Hirving Lozano e Raúl Jiménez.

Martino estava invicto desde sua chegada à seleção mexicana. Após 11 vitórias em 11 partidas, sofreu a primeira derrota da maneira mais dolorosa, contra o seu país. A Argentina soube explorar os erros e atacou de maneira vigorosa. Além do mais, contou com Lautaro Martínez com uma fome de bola impressionante para um amistoso. Do pouco que se tira neste atual ciclo da Albiceleste, o garoto é uma das raras certezas.