Lautaro Martínez foi decisivo para Argentina arrancar a virada contra Bolívia em La Paz

A Argentina conseguiu superar a missão de vencer a Bolívia em La Paz na segunda rodada das Eliminatórias da Copa. Os 2 a 1 vieram de forma sofrida, em uma virada no segundo tempo, sem uma grande atuação, mas suficiente para levar os três pontos. Lautaro Martínez foi decisivo, com um gol e um passe para outro. Lionel Messi fez uma boa partida no segundo tempo, que ajudou a tornar a seleção argentina mais perigosa.

[foo_related_posts]

Eram 15 anos desde a última vitória dos albicelestes em território boliviano. Em 2005, os argentinos venceram nas Eliminatórias para 2006. Desde então, eram três visitas a La Paz, com duas derrotas e um empate. Uma dessas derrotas foi muito pesada: 6 a 1, em 2009. Desta vez, porém, os argentinos conseguiram o resultado para manter os 100% de aproveitamento nas Eliminatórias.

O técnico Cesar Farias tinha prometido um time que iria tentar “comer o fígado” dos rivais no Estádio Hernando Siles, em La Paz. Com alguns jogadores que tinham sido deixados apenas treinando na Bolívia em vez de ir enfrentar o Brasil em São Paulo – onde os bolivianos perderam por 5 a 0 com o time enfraquecido -, o que vimos em campo diante da Argentina foi mesmo um outro time. Não só em nomes, mas em postura.

Desde o começo do jogo, a Bolívia tomou as rédeas do jogo, partiu para cima, tentou pressionar com as suas armas – não muito rebuscadas, aliás. Aos seis minutos, a Bolívia teve uma ótima chance. Depois de um cruzamento do lado direito, Marcelo Moreno cabeceou livre, mas mandou para fora. Depois, o camisa 9 teria mais uma chance em um levantamento para a área, mas novamente não conseguiu colocar para dentro. O caminho, porém, parecia promissor e a Bolívia seguiu tentando.

O primeiro gol enfim saiu aos 23 minutos. Alejandro Chumacero fez a jogada pelo lado esquerdo, cruzou para a área e Marcelo Moreno, livre, cabeceou fora do alcance do goleiro Armani: 1 a 0 para a Bolívia. Um prêmio à seleção que mais tentou desde o começo do jogo.

Sem conseguir manter a posse de bola e nem chegar ao ataque com perigo, a Argentina teve uma boa chance com um chute de fora da área. Leandro Paredes arriscou de fora uma bola que sobrou e a certou a trave, fazendo até eco no estádio vazio. Ir além disso estava difícil.

Apesar do péssimo primeiro tempo, a Argentina arrancou o gol de empate com um gol ridículo. Lautaro Martínez recebeu pela esquerda, passou aos trancos e barrancos, cruzou para trás, Carrasco interceptou, mas foi lento como uma carreta fazendo curva, Lautaro dividiu a bola com o defensor, que estava dentro da pequena área, e ela entrou. A Argentina chegava ao 1 a 1 com um gol que representava bem o seu futebol até ali.

Se esperava um segundo tempo melhor da Argentina, mas o time demorou a encontrar as chances. O técnico Lionel Scaloni até fez mudanças para dar novo gás ao time, com as entradas de Joaquín Correa (aos 14 minutos), Nicolás Domínguez (aos 23) e Guido Rodríguez (aos 24). Embora o desempenho coletivo fosse ruim, Messi apareceu mais para o jogo. Isso, por si, já tornou a Argentina mais perigosa.

Em um lance individual, a Argentina quase arrancou a virada aos 29 minutos. Lionel Messi recebeu pela direita e, rente à linha lateral, passou por um adversário e abriu espaço para um belo passe para Lautaro Martínez. Na direita da área, o atacante chutou forte, cruzado, e o goleiro Carlos Lampe fez a defesa, mandando para escanteio. Seguia 1 a 1 no placar.

A albiceleste enfim conseguiria marcar aos 33 minutos. Messi acionou Lautaro Martínez pelo meio, o centroavante girou e ajeitou para Joaquín Correa, na esquerda. Vestindo a camisa 9, o jogador do Atlético de Madrid bateu bem, no alto, e mandou para as redes: 2 a 1, de virada.

Depois disso, como esperado, a Argentina tentou segurar a bola e manter o ritmo do jogo mais baixo. A Bolívia tentou uma reação, mas com seus poucos recursos, pouco conseguiu fazer para causar problemas aos visitantes.

Depois do apito final, houve um princípio de confusão, com Marcelo Moreno inconformado. Parecia discutir com Messi. Ele tomou cartão amarelo, mas mesmo assim precisou ser contido por companheiros. Os argentinos comemoraram muito depois do jogo, o que parece ter irritado os bolivianos.

Nas Eliminatórias para a Copa 2018, a Argentina teve um péssimo início com derrotas para Equador e Bolívia. Desta vez, na mesma ordem, os argentinos conseguem os seis pontos, o que por si já traz um certo alívio. O futebol está longe de ser o que se espera. Ao menos, porém, já é possível ter um pouco mais de tranquilidade para o técnico Scaloni continuar ot rabalho.