Ter a melhor campanha da fase regular na MLS vale pouco. Para não dizer que não vale nada, há o troféu Supporters’ Shield, que também dá uma vaga na Champions League da Concacaf – a popular Concachampions. Nos playoffs, ainda mais no formato atual, em um jogo só, tudo depende daquele jogo. O Los Angeles FC, o LAFC, foi o melhor na fase regular, tem o artilheiro da liga, Carlos Vela, e conseguiu a primeira vitória no clássico com o Los Angeles Galaxy, na semifinal da Conferência Oeste. Só que na final de Conferência, valeu o melhor jogo do Seattle Sounders, que venceu de virada por 3 a 1 e destruiu o sonho do time de LA de conquistar seu primeiro título.

Essa é uma história que já vimos se repetir muitas vezes. Ser o melhor time na fase de classificação (ou temporada regular, como os americanos chamam) é só um prêmio de consolação. O que todo mundo quer é a taça, a MLS Cup, e desta o LAFC ficou fora, mesmo com todas as qualidades que possui, com um time forte no ataque, o artilheiro e um técnico competente.

Os Sounders conseguiram um feito. O LAFC só tinha perdido dois jogos em casa nesta temporada de 2019, sendo só um deles pela MLS. A primeira derrota em casa na temporada foi para o Portland Timbers, no dia 10 de julho, pela US Open Cup. Pela MLS, o time só perdeu uma: no dia 1º de setembro, para o Minnesota United, por 2 a 0.

O primeiro tempo teve 30 minutos muito movimentados. Aos 17 minutos, Carlos Vela sofreu falta na entrada da área. Eduard Atuesta cobrou com precisão e marcou 1 a 0 para o LAFC. Só que a vantagem dos californianos não durou muito. Aos 22, Jordan Morris recebeu pelo lado esquerdo, tocou para Nicolás Lodeiro, que achou o peruano Raúl Ruidiaz no meio do ataque. Ele fez um lindo giro em cima da marcação, ficando frente a frente com o goleiro Tyler Miller. Aí só colocou no canto alto e marcou: 1 a 1.

Nem deu tempo para a torcida absorver o baque. Quatro minutos depois, Joevin Jones tocou para Nicolás Lodeiro, centralizado, e o uruguaio acertou um chute rasteiro no cantinho para ampliar o placar para 2 a 1. A vantagem conquistada pelos mandantes nove minutos antes foi destruída rapidamente e deixou o time visitante em uma situação muito confortável dentro da sua estratégia.

Nicolás Lodeiro comemora seu gol pelo Sounders (Getty Images)

A estratégia do Sounders era clara: aguentar a pressão do LAFC, tirando os espaços, e ser voraz nos contra-ataques para conseguir seus gols. O gol no começo pareceu empolgar o time da casa, mas foi um gol de bola parada. Com a bola rolando, o time pouco conseguiu criar. A estratégia do Sounders funcionou. Não por acaso, o LAFC teve um dos seus piores índices de chutes certos da temporada, apenas quatro entre os 14 chutes feitos. O Sounders, com menos chutes, 11, acertou mais, cinco. E isso sem falar na posse de bola, 68% para o LAFC contra 32% do Sounders.

No começo do segundo tempo, Morris fez uma boa jogada pela esquerda, puxando contra-ataque, e tocou para Ruidiaz, que chutou cruzado e levou muito perigo. Logo depois, em um erro de passe no meio-campo, Lodeiro tentou um chute de longe, por cobertura, e assustou, mas a bola foi por cima do gol.

A situação do LAFC complicou ainda mais aos 19 minutos. Lançamento longo para o ataque, que estava tranquilo para Walker Zimmerman, que afastou mal. Nicolás Lodeiro tocou rapidamente para Ruidiaz, que ajeitou e, na entrada da área, chutou rasteiro, no canto direito do goleiro: 3 a 1.

O LAFC não teve força para reagir. Vela recebeu muitas vezes a bola, recebeu faltas, mas não teve chances. Os californianos reclamaram durante o jogo sobre o estilo de deixar jogar do árbitro Jair Morrufo. Reclamaram inclusive de pênaltis por bolas na mão, não marcados pela arbitragem. Vela, porém, não atribuiu à arbitragem a derrota do seu time.

“Eu não acho que é nada louco. É futebol. Eles jogam assim. Funcionou para eles. Não é nada além disso. Eles marcaram três gols. Eles aproveitaram as chances melhor do que nós e eles venceram. É a única coisa que eu posso dizer. Não estou preocupado com o árbitro, ou como eles jogam duro. É futebol. Não tem nada errado com isso”, afirmou Vela depois do jogo.

“Nós queríamos empurrar o LAFC em áreas que eles eram menos efetivos. Esse era todo o plano de jogo, apenas para ver se nós poderíamos diminuir a velocidade dos ataques deles. No lado ofensivo, nós sabíamos que podíamos criar chances contra este time. Eles assumem muitos riscos quando defendem ou sofrem contra pressão, afirmou Brian Schmetzer, técnico do Sounders.

Com o título da Conferência Oeste, o Seattle Sounders vai à decisão da MLS em três dos últimos quatro anos. Campeão em 2016, o time busca chegar a mais uma taça. Depois de vencer em 2016 nos pênaltis contra o Toronto FC, no ano seguinte os dois times repetiram a final e os canadenses levaram a taça. Em 2018, a decisão foi entre Atlanta United e Portland Timbers, rival dos Sounders, e o Atlanta venceu por 2 a 0. O Atlanta faz a final da Conferência Leste com o Toronto FC nesta quarta-feira.