Vincent Kompany começou, nesta terça-feira, uma nova etapa da sua carreira. Foi apresentado no Anderlecht, clube ao qual retorna como jogador e técnico, aos 33 anos. Desafio diferente para o zagueiro belga, que espera poder utilizar os ensinamentos de Pep Guardiola para triunfar no banco de reservas. 

“A ideia de me tornar técnico e jogador cresceu gradualmente. A chance era grande demais para que eu recusasse e acho que foi o momento certo para tomar essa decisão”, disse. “Retornar apenas como jogador não era uma opção. Eu tenho tudo a provar. Como treinador, ainda não provei nada, mas estou confiante que esta história pode e dará certo. Quero ser campeão no Anderlecht. Não vim para ser segundo. Posso começar algo incrível aqui”. 

Kompany recordou que avisou Guardiola que estava de saída um dia antes da final da Copa da Inglaterra contra o Watford e que a despedida do chefe foi emocionante. “Trabalhar com Guardiola foi como se de repente eu estivesse na faculdade. Ele explica tudo de uma maneira tão clara que eu aprendi muito com ele. Ainda não sou Guardiola, vamos deixar claro. Mas acho que sou um bom estudante”, disse. 

“Acho que o City será campeão da Champions League eventualmente, em breve, espero, e atrás de Guardiola está Mikel Arteta, que tem muito conhecimento e é provavelmente o homem certo a se observar. Eu vou simplesmente construir minha carreira e serei tão determinado quanto Pep ou os melhores treinadores têm sido. Eu serei bom? Veremos”, completou. 

Ex-companheiro de Kompany no Manchester City, Frank Lampard está sendo cogitado para assumir o Chelsea, no lugar de Maurizio Sarri, e o novo treinador do Anderlecht acredita que essa é uma grande ideia. “Não apenas Frank é um grande cara, mas é alguém com quem eu aprendi muito em certo estágio da minha carreira. Ele era um pouco mais velho quando chegou ao City e foi um incrível profissional. O que ele trouxe na época subiu o nível de todo mundo, então eu sei o impacto que Frank Lampard tem em um time e estou tentando ter o mesmo chegando como jogador experiente ao Anderlecht. Ele está entre os jogadores mais inteligentes, então é uma combinação boa para o Chelsea”, avaliou. 

O desafio de Kompany no Anderlecht é considerável. Foi o último colocado do grupo do título do Campeonato Belga, sexto no geral, a 20 pontos do campeão Genk. “Há mais talento no Anderlecht agora do que quando eu comecei. Muito mais. Terminamos em sexto, então temos que melhorar mais do que outros cinco times em uma temporada. Mas minha opinião é que, com algumas mudanças, podemos chegar lá, estou convencido disso. Se o Anderlecht tivesse sido campeão, ou mesmo segundo colocado, esta história não teria acontecido. Não há momento melhor para vir para cá do que agora. Ninguém estaria aberto a uma mudança de mentalidade. Eu entendo que há muito trabalho, mas estou ansioso para começar”, encerrou.