O Liverpool derrotou o Manchester City, no último domingo, por 3 a 1, e seu primeiro gol foi marcado por Fabinho, na sequência de um lance controverso em que uma bola bateu na mão de Trent Alexander-Arnold dentro da área. A central do assistente de vídeo, porém, considerou que não havia sido pênalti, embora muitos achem que foi – e ainda há um toque de mão de Bernardo Silva um pouco antes, complicando ainda mais a situação, porque todos eles são proibidos em lances que geram chances de gol do time que está atacando.

O VAR funcionou a favor do Liverpool neste jogo, como funcionou contra no clássico contra o Manchester United, ao não identificar uma falta em Origi antes do gol de Marcus Rashford, e Jürgen Klopp, questionando o sistema quase semanalmente desde que ele foi introduzido na Inglaterra, saiu da conferência de treinadores da Uefa dizendo que o assistente de vídeo precisa melhorar, embora reconheça que nunca será perfeito.

“O VAR pode ser melhorado. Nunca será 100% correto, todos sabem disso, mas há algumas coisas que não estão certas. Com o VAR, mão na bola, impedimento, é claro que precisamos continuar melhorando. Houve algumas boas ideias da Uefa sobre como podemos resolver as coisas com os árbitros, então todos estão trabalhando nisso. Ainda há espaço para erros. Essas coisas são feitas por seres humanos e ninguém é perfeito. Ninguém está pedindo por perfeição, queremos apenas que as decisões sejam certas”, disse, segundo a Sky Sports.

Outro alvo frequente de críticas de Klopp é o calendário do futebol inglês. No fim deste ano, o Liverpool terá duas partidas na mesma semana, em um intervalo de dois dias: as quartas de final da Copa da Liga Inglesa, contra o Aston Villa, e a semifinal do Mundial de Clubes. Sobre isso, Klopp foi mais sucinto: “As discussões sobre isso são realmente importantes e precisamos iniciá-las”.

Faixa bônus: depois da conferência, Klopp conversava com repórteres e foi questionado se conversou com Guardiola, que ficou tremendamente revoltado com as decisões do árbitro no último domingo, e saiu pela sua costumeira tangente carismática.

.