Sete pontos atrás do líder na tabela da Premier League, e derrotado em três das últimas cinco rodadas, o Manchester City ainda é o melhor time do mundo. Pelo menos é essa a opinião de Jürgen Klopp, comandante do Liverpool, adversário dos homens de Guardiola na partida mais aguardada da rodada, nesta quinta-feira, às 18h (Brasília), entre o primeiro e o terceiro colocado do Campeonato Inglês – o Tottenham é segundo, com um jogo a mais que ambos.

LEIA MAIS: Nada de “empolgou”: Klopp finca os pés no chão e diz que Liverpool está no meio de uma maratona

 

“É um jogo normal contra o Manchester City, um muito difícil. É um dos jogos mais difíceis que você pode ter no futebol moderno. Sentimos isso várias vezes. Eles são um time de futebol muito forte, com um técnico excepcional. Temos que estar preparados. Temos que ser corajosos, ter desejo, raiva, tudo isso, mas com o conhecimento de que o adversário é, para mim, ainda o melhor time do mundo”, afirmou. “Eu disse isso semanas atrás porque é 100% a minha opinião. O jeito como jogam, o que já conquistaram e o que ainda vão conquistar. Nada mudou, apenas a pontuação, mas não a preparação para o jogo”.

Depois de derrotar o Southampton, e encerrar uma rara sequência de duas derrotas, Pep Guardiola afirmou que o Liverpool é o “melhor time do momento” e entre os quatro melhores da Europa. “Eu ouvi. Ele disse ‘no momento’. Não tenho certeza se algum time tem um retrospecto como o nosso em dezembro. Estamos em um bom momento, 100%. E somos um time de futebol muito, muito bom também. Por isso temos essa quantidade de pontos. Mas nos preparamos para um jogo. Eu diria que eles são o melhor time do mundo se ninguém me perguntasse? Não. Mas estamos falando sobre isso”, completou.

Guardiola tentou não responder em que estado ficariam as chances de título do Manchester City em caso de derrota, embora, depois da vitória sobre o Southampton, tenha dito que, caso tivesse perdido pontos naquela partida, seria “quase impossível” alcançar o Liverpool. Agora, encara o confronto direto como uma oportunidade para reduzir a diferença.

“Meu foco é o mesmo. Todo mundo está perguntando o que acontecerá se perdermos, mas vamos tentar (vencer). É nossa chance de lutar pela Premier League. A realidade é clara: estamos sete pontos atrás no segundo jogo do returno, então ainda há muitos pontos pela frente”, disse. O City não ganhou do Liverpool nos últimos quatro encontros. No entanto, antes dessa sequência, aplicou 5 a 0 no Etihad Stadium, palco da partida desta quinta-feira. “É o Liverpool, o melhor time da Inglaterra na história. Podemos vencê-los. Eu sei que ninguém confia em nós, mas é assim que é. Eles são, no momento, o melhor time da Europa, em consistência, na maneira como controlam os detalhes do jogo. Vamos nos concentrar no que podemos fazer para ganhar o jogo”, afirmou.

Klopp também não quis fazer previsões muito longínquas. “Se estivéssemos dez pontos atrás deles, a primeira coisa que eu diria depois do jogo seria: ‘Ainda podemos alcançá-los’? Claro que não. É difícil, com a qualidade de todos os times. Mas simplesmente não é importante o que acontece agora. Estamos em 3 de janeiro (data da partida). É um jogo muito, muito, muito importante para os dois times, obviamente. Usaria isso como motivação para a outra equipe. É um jogo de seis pontos, jogamos entre nós, a partida pode ir para qualquer direção. É uma motivação para eles, 100%. Eles estarão prontos e precisamos assegurar que também estamos”, analisou.

Kevin de Bruyne

De Bruyne, do Manchester City (Foto: Getty Images)

Jogador muito importante da engrenagem do Manchester City, Kevin de Bruyne atuou apenas nove vezes nesta temporada, graças a uma lesão no joelho. Ele retornou para os compromissos de dezembro, mas ficou fora da vitória contra o Southampton, por problemas musculares. Guardiola afirmou que De Bruyne treinou, nesta quarta-feira, e será reavaliado no dia da partida. “Mas ele está muito melhor”, informou.

No lado vermelho, Klopp disse que Milner voltou a treinar sem restrições, depois de perder as duas últimas partidas do Liverpool, e não poupou elogios a De Bruyne. “Eu amo o jogador. Todos que amam futebol precisam amar Kevin de Bruyne. Ele parece ser uma pessoa muito humilde e é um jogador excepcional em campo – um líder e tudo mais. Ele faria a diferença, mas, por outro lado, desde que ele está fora, Pep disse isso também, ele acredita que o futebol que jogaram nesta temporada é melhor que o da temporada passada. É mais flexível, envolve coisas diferentes no gramado. Bernardo Silva teve uma temporada incrível, Gündogan jogou brilhantemente. Eles têm muitas opções e obviamente, se ele jogar, será um grande reforço”, encerrou.