Enquanto o Chelsea faz a limpa no mercado, acumulando um gasto de basicamente £ 200 milhões em contratações, o Liverpool, atual campeão da Premier League, segue bastante quieto no mercado, continuando uma tendência vista na temporada anterior. Até agora, apenas Kostas Tsimikas, do Olympiacos, foi contratado, por £ 11,7 milhões, e Klopp indica que as coisas não mudarão muito até o fim da janela de transferências.

Em entrevista à BBC Radio 5 Live, o técnico dos Reds deu uma cutucada nos rivais mais abastados, em especial o Chelsea, afirmando que o Liverpool não pode se dar o luxo de gastar desenfreadamente em meio à incerteza de um mundo que vive uma pandemia.

“Os clubes estão em situação diferentes, e nós estamos vivendo em incerteza no mundo. Para alguns clubes, parece ser menos importante o quão incerto o futuro é, porque eles são de propriedade de países, oligarcas, e essa é a verdade”, comentou.

Fazendo referência à construção da sua equipe nos últimos anos, embora aparentemente tenha se esquecido do alto investimento nas contratações de Alisson e Virgil van Dijk, que custaram, respectivamente, € 72,5 milhões e € 84,6 milhões, por exemplo, citou o sucesso do modelo do clube para refutar a chance de gastar grandes quantias atualmente.

“Não podemos mudar isso da noite para o dia e dizer: ‘Agora queremos nos comportar como o Chelsea’. (…) Somos um tipo diferente de clube. Chegamos à final da Champions League dois anos atrás, a vencemos no ano passado e vencemos a Premier League sendo o clube que somos.”

Klopp reconheceu, sim, a vontade de aprimorar o seu plantel, mas ofereceu uma via mais trabalhosa: desenvolver quem já está presente no clube. “Sempre queremos melhorar o elenco, mas existem maneiras diferentes. Uma é contratar novos jogadores, e a outra é trabalhar juntos, melhorar as coisas em que você é bom e tentar anular as coisas em que você não é bom. Futebol é isso. Ninguém quer falar em treinamento, só em contratações”, queixou-se.

Desde que estabeleceu a base de seu grupo de atletas, o Liverpool diminuiu o ritmo e o tamanho dos investimentos de um ano para cá. Na temporada passada, pagou apenas £ 1,3 milhão por Sepp van den Berg, do PEC Zwolle, e £ 7,25 milhões por Takumi Minamino, do Red Bull Salzburg, trazendo ainda Adrián e Andy Lonergan sem custos. O lateral do Olympiacos Tsimikas, por ora, é o único recruta em 2020/21, custando £ 11,7 milhões.

Maior ator no atual mercado inglês, assim como no europeu, o Chelsea já anunciou as chegadas de Hakim Ziyech, Timo Werner, Ben Chilwell e Kai Havertz, por soma que se aproxima dos £ 200 milhões. Chegaram ainda Thiago Silva e Malang Sarr, sem custos, enquanto o goleiro Édouard Mendy, do Rennes, e o volante Declan Rice, do West Ham, podem ainda reforçar os Blues.