A vitória do Liverpool sobre o Barcelona por 4 a 0 em Anfield, que reverteu a derrota por 3 a 0 no Camp Nou, será falada para sempre. O técnico Jürgen Klopp, dos Reds, atribuiu o resultado à “mentalidade de gigantes” dos seus jogadores, como ele mesmo descreveu. Para ele, o que aconteceu não era possível, exceto porque o time possui essa força mental capaz de lidar com um desafio tão grande. O alemão destacou também o bom desempenho que a equipe já teve fora de casa, mesmo perdendo por 3 a 0, e que o ponto de partida foi justamente ali.

“Uma noite especial”, afirmou Klopp depois do jogo. “Ganhar contra o Barcelona é uma das coisas mais difíceis no mundo do futebol. Ganhar contra o Barcelona quando você sai perdendo por 3 a 0, tendo que marcar quatro gols e não pode sofrer gols é ainda mais difícil, então nós não realmente pensamos nisso. Nós apenas tentamos construir a partir do bom desempenho em Barcelona e ganhar o jogo, passo a passo”, descreveu o técnico.

“Foi realmente difícil jogar contra nós com uma combinação de muito coração e habilidade no futebol. Aquilo foi lindo. Eu disse aos garotos antes do jogo que não era possível, mas por eles terem uma mentalidade de gigantes, nós tínhamos uma chance. Produzir um desempenho como esse é inacreditável. O que eles fizeram foi muito especial. Eu irei lembrar para sempre e eu não sei se isso irá acontecer de novo”, contou Klopp.

Um dos momentos mais incríveis do jogo foi a cobrança rápida e surpreendente de Trent Alexander-Arnold, que pegou toda a defesa do Barcelona de surpresa e culminou no quarto gol do Liverpool, o da classificação. O técnico do Barcelona, Ernesto Valverde, pareceu também não ter entendido. “Eu não sei o que aconteceu. “Nós nos preparamos para as situações de bola parada porque eles são muito fortes nessas situações”, afirmou.

Klopp, por sua vez, encheu o lateral de elogios pelo lance. “Foi um momento de gênio de Trent. Wow. Eu vi a bola batendo na rede e eu não sabia quem cobrou o escanteio ou quem tinha marcado. Agora eu vi de novo, incrivelmente inteligente. Eu acho que o nosso desempenho foi melhor que nos 3 a 0 em Barcelona e nesta noite provavelmente o Barcelona é melhor que os 4 a 0”, analisou o técnico alemão.

“Para mim este clube é um grande coração e nesta noite o coração estava batendo como louco”, disse Klopp. “Você podia sentir isso no mundo todo. Eu estou tão feliz que nós pudemos dar esta experiência às pessoas. Eu estou realmente feliz por ter outra chance de acertar as coisas”, declarou o treinador. `

“O plano era ir para Madri e agora nós vamos para lá daqui a três semanas”, contou Klopp. “Nós estamos realmente ansiosos por isso. Nós queremos criar a nossa própria história, não porque não estamos felizes com a história do clube, mas porque nós queremos um novo capítulo. Eu sei o que as pessoas dizem sobre min e perder finais, mas é a quarta final na minha vida aqui e isso é realmente especial. No ano passado nós realmente sentimos que tínhamos que voltar [à decisão da Champions League], não podemos deixar assim. Eu não tenho certeza se as coisas irão acontecer de novo, é muito especial. Eu vi os rapazes com lágrimas nos olhos. Você sente muito mais que outros clubes nesses momentos”, afirmou ainda o treinador.

Henderson: “Klopp enraizou a crença em nós”

Henderson encheu o técnico de elogios depois do jogo. “Desde a conversa que ele deu antes do jogo, antes de virmos para o estádio, eu acho que os jogadores puderam perceber que o técnico acreditava, o que nos ajudou a acreditar no que ele disse. Ele disse que nós podemos aproveitar a noite e talvez contar aos nossos netos um dia que foi uma noite especial”, afirmou o capitão do Liverpool, que reencontrou o seu melhor futebol na temporada.

“O técnico enraizou aquela crença em nós: não importava o que acontecesse, você continua lutando até o apito final. Foi isso que nós fizemos durante toda a temporada nós iremos continuar fazendo isso no domingo e na final também. Dois grandes jogos para se esperar e nós temos que manter essa confiança e esse espírito e então ficaremos bem”.

“Do começo ao fim, os rapazes foram incríveis”, afirmou Henderson. “Eu acho que muitas pessoas teriam nos descartado, mas nós tínhamos uma crença neste time. Nós sabíamos que se nós déssemos tudo, você nunca sabe o que pode acontecer no futebol. Eu acho que nós provamos que algumas pessoas estavam erradas. Nós mostramos que se você nunca desistir e continuar tentando, você pode produzir coisas especiais e criar uma noite especial”.

No final do primeiro tempo, Henderson sentiu um choque no joelho e Wijnaldum começou a aquecer para entrar. O holandês entrou, mas não no lugar do capitão, que permaneceu em campo no segundo tempo. “Eu estava um pouco incomodado quando tive uma pancada no joelho”, afirmou Henderson.

“Estava morto. O médico disse: ‘Apenas continue se mexendo’. Eu consegui chegar ao intervalo e eu tive um pouco de tratamento, tomei analgésicos, toda aquela coisa, o que ajudou. Tinha injeção e comprimidos. Eu disse: ‘Me dê tudo’. Então eu consegui seguir e a torcida nos ajudou também a continuar em frente. Foi uma noite incrível e estou honrado em ser parte disso e contribuir”, revelou o meio-campista dos Reds, que capitaneará mais uma vez o time em uma final de Champions League.

O meio-campista admitiu que ficou incomodado em ter ficado no banco no jogo de ida da semifinal, no Camp Nou, e sentiu que precisava mais uma vez provar a sua importância. “Eu aproveito agora, me acostumei com isso”, disse o jogador, sorrindo. “É apenas uma exibição minha por causa dos meus companheiros. Não tem nada a ver com uma pessoa. Sim, eu contribuí, mas todos que jogaram também. Foi todo mundo junto”.

“Ao longo da minha carreira, eu sempre quis provar que as pessoas estavam erradas e isso nunca irá mudar. Eu irei continuar a fazer isso até que eu pare de jogar futebol. O futebol é assim mesmo, muda muito rapidamente. Se você está ganhando títulos ou não, sempre há questionamentos sendo feitos, alguém diz que você não pode fazer isso ou aquilo, então sempre há coisas que você quer provar. Eu quero melhorar como jogador e contribuir para o time tendo sucesso”, afirmou Henderson.

O próximo desafio do Liverpool é no domingo, quando o time volta a campo pela última rodada da Premier League. No mesmo cenário, Anfield, os Reds precisam de uma vitória contra o bom time do Wolverhampton, às 11h (horário de Brasília, fique ligado na Programação de TV). Depois, o time irá se preparar para a final da Champions League, no dia 1º de junho, em Madri, às 16h (horário de Brasília).