O Real Madrid jogou a zebra para longe e venceu o Kashima Antlers por 3 a 1 nesta quarta-feira, na semifinal do Mundial de Clubes. Depois de um primeiro tempo equilibrado, em que o time merengue conseguiu marcar um gol no final, no segundo o clube da Espanha marcou gols dois rapidamente, matando o jogo e garantindo a passagem dos europeus à semifinal. Apesar do time bem armado, os japoneses acabaram não sendo páreo para o Real Madrid. Serão os merengues que decidirão o Mundial no próximo sábado diante do Al Ain.

LEIA TAMBÉM: Caio aproveita muito bem o Mundial de Clubes para apresentar o seu talento

Logo a dois minutos de jogo, o Kashima Antlers criou a primeira oportunidade. Em um escanteio cobrando por Yasushi Endo, a bola foi muito fechada, passou por todo mundo a meia altura e faltou alguém de vermelho capaz de empurrar a bola para o gol.

Passada a marca de 20 minutos, o Real Madrid era quem tinha mais a bola, mas as chegadas mais perigosas tinham sido do Kashima Antlers. O time japonês levava perigo em ataques rápidos e em bolas paradas, especialmente em escanteios.

Organizado, o time japonês parecia se articular melhor em campo, além de ter um fator que é difícil de medir: motivação. Talvez o fato do Real Madrid jogar com dois jogadores que normalmente não são titulares aumente essa sensação. O volante Marcos Llorente saiu jogando na posição que é normalmente de Casemiro, já que o brasileiro volta de lesão. No ataque, Lucas Vazquez saiu jogando na posição que habitualmente tem sido de Marco Asensio.

Aos 43 minutos, o Real Madrid chegou ao gol em uma jogada de talento. Bale, na ponta esquerda, tocou para Marcelo, que devolveu de primeira para o galês. Ele finalizou cruzado, a bola tocou na trave e entrou, sem chance de defesa: 1 a 0 para o time espanhol em Abu Dabi.

Logo no início da segunda etapa, o Real Madrid chegou perto de marcar o segundo gol. Vazquez chegou à linha de fundo, cruzou, a bola passou por todo mundo e sobrou para Benzema, que chutou, a bola passou pelo goleiro, mas a zaga tirou em cima da linha.

Aos oito minutos, o Kashima Antlers complicou a própria vida. Shuto Yamamoto fez um recuo ruim, Bale ficou perto de interceptar, Seunghyun Jung tentou tirar, mas no fim ajudou Bale, que tocou de pé direito já sem goleiro: 2 a 0. Um banho de água gelada nos japoneses, que viram suas chances diminuírem demais.

O Kashima Antlers ainda lamentava o erro quando o Real Madrid tratou de matar o jogo. Jogada pela direita, Vazquez tocou para o meio, Modric chegou para encher o pé e furou, a bola sobrou para Marcelo, pelo meio. O lateral deu passe de meia para Bale, aberto na esquerda dentro da área, e o camisa 11 chutou cruzado, no alto, sem defesa: 3 a 0. Uma pá de cal em qualquer possibilidade de zebra em Abu Dabi, aos 10 minutos da etapa final. Os últimos 30 minutos viraram um amistoso.

O jogo se tornou mais aberto. Os dois times passaram a ter mais espaços, mas o ritmo também caiu. Com o Kashima já ciente que o jogo estava decidido, tentava ao menos um gol que melhorasse o placar. E conseguiu, aos 33 minutos do segundo tempo, em uma finalização de Shoma Doi. O árbitro Wilton Sampaio ainda esperou a revisão do lance no VAR, por haver dúvida sobre a posição de impedimento do ataque do time japonês, mas o gol foi validado.

O Real Madrid se posicionou mais atrás nos minutos finais, também se poupando mais fisicamente, aproveitando inclusive que o técnico Santiago Solari fez duas alterações no time pensando nisso. O time ficou tranquilo em campo para segurar o placar e avançar. No sábado, fará a final contra o Al Ain sendo muito favorito ao título, como foi nos dois anos anteriores. Pode ser o primeiro tricampeão da história do Mundial. Qualquer coisa, além disso, será um problema gigantesco para Solari e seus comandados.

Ao Kashima Antlers, a participação foi digna, mas os erros pesaram. O primeiro gol saiu de uma boa jogada do Real Madrid, que nem foi uma falha, mas o segundo e terceiro gol já vieram como uma consequência de problemas defensivos que o Real Madrid foi voraz e aproveitou. O time foi bem em campo, mas no segundo tempo sentiu demais o jogo, não conseguiu lidar com o que o Real Madrid aproveitou. O time se manteve no jogo no primeiro tempo e até tomar o segundo gol. Foi quando as coisas desandaram de vez. Restará tentar de novo, embora ganhar a Liga dos Campeões da Ásia seja uma tarefa duríssima.