Estava claro que a Argentina passaria por uma renovação sensível pensando em seu próximo ciclo. Diante do muito que não deu certo na Copa do Mundo com Jorge Sampaoli, o desejo era de uma limpa geral no elenco. Isso de fato acontece sob as ordens do interino Lionel Scaloni, antigo jogador da Albiceleste e assistente no Mundial de 2018, que assume a bomba ao lado de Pablo Aimar. Nesta sexta, o novo técnico realizou sua primeira convocação à frente da equipe, rumo aos amistosos contra Guatemala e Colômbia. De maneira ainda mais intensa do que se viu na seleção brasileira, são várias as mudanças no plantel que participará dessas partidas.

Apenas nove jogadores presentes na Rússia continuam na seleção, e nada dos principais medalhões. A nova etapa será liderada por Sergio Romero, de volta após ser cortado da Copa por lesão, além de Paulo Dybala e Mauro Icardi – este, ausente do Mundial, mas que parece recobrar o moral com os comandantes. No mais, uma porção de coadjuvantes na fraca campanha da Albiceleste, como Gabriel Mercado, Nicolás Tagliafico e Maximiliano Meza.

Mais importantes são as novidades. E elas abundam. No gol, Gerónimo Rulli merecidamente está de volta. A defesa traz Germán Pezzella. O meio-campo terá jovens talentosos como Leandro Paredes e Santiago Ascacíbar. Já no ataque, reconhecimento ao momento favorável de Ángel Correa e Lautaro Martínez neste início de temporada europeia, além da chance a Giovanni Simeone. O garoto fez uma boa temporada com a Fiorentina na Serie A e segue os passos de seu pai na equipe nacional.

Vale mencionar ainda os muitos jogadores do futebol local que ganham vez, a maioria estreantes. Franco Armani esteve na Copa e segue no elenco. A defesa terá várias opções, como Fabrício Bustos e Alan Franco do Independiente, além de Leonel Di Plácido, do Lanús. O River Plate é destacado através do talentoso Pity Martínez e do garoto Exequiel Palacios, de apenas 19 anos. Outro novato é Matías Vargas, do Vélez, que estreia aos 21 anos. Já no ataque, Cristian Pavón ressalta suas condições como candidato até mesmo a um posto entre os titulares na ponta.

Por fim, destaque especial ainda a Walter Kannemann. O zagueiro vinha comendo a bola no Grêmio e, durante o Mundial, muitos questionaram se ele não teria lugar no bagunçado sistema defensivo da Argentina. A resposta de Scaloni veio agora, levando o defensor pela primeira vez à Albiceleste. Poderá fazer a sua estreia já aos 27 anos, e não será surpreendente se logo aparecer no 11 inicial. É um dos “novatos tardios”, como os meio-campistas Franco Vázquez e Rodrigo Battaglia.

No geral, é uma equipe jovem. São 17 convocados com 25 anos ou menos. Scaloni e Aimar deixam claro que o mais importante é a observação. Algo que Tite poderia ter feito mais neste primeiro momento depois do Mundial. Confira a lista:

Goleiros: Sergio Romero (Manchester United), Gerónimo Rulli (Real Sociedad), Franco Armani (River Plate)

Defensores: Gabriel Mercado (Sevilla), Marcos Acuña (Sporting), Ramiro Funes Mori (Villarreal), Germán Pezzella (Fiorentina), Eduardo Salvio (Benfica), Nicolás Tagliafico (Ajax), Walter Kannemann (Grêmio), Alan Franco (Independiente), Leonel Di Plácido (Lanús), Fabrício Bustos (Independiente)

Meio-campistas: Maximiliano Meza (Independiente), Matías Vargas (Vélez), Franco Cervi (Benfica), Franco Vázquez (Sevilla), Giovani Lo Celso (Paris Saint-Germain), Leandro Paredes (Zenit), Santiago Ascacíbar (Stuttgart), Rodrigo Battaglia (Sporting), Exequiel Palazios (River Plate), Pity Martínez (River Plate)

Atacantes: Cristian Pavón (Boca Juniors), Ángel Correa (Atlético de Madrid), Lautaro Martínez (Internazionale), Giovanni Simeone (Fiorentina), Paulo Dybala (Juventus), Mauro Icardi (Internazionale)


Os comentários estão desativados.