A convocação de Kaká foi o grande assunto na convocação da seleção brasileira. O jogador do Real Madrid jogou pela última vez com a camisa do Brasil em 2010, ainda na Copa do Mundo, e volta a vestir a camisa da seleção em um momento que Mano Menezes vive uma grande pressão. A principal crítica é que Mano chamou um jogador que é reserva e quase nunca joga. Isso é verdade nesta temporada, mas não vale para a temporada passada.

Uma série de problemas de lesão e o rendimento abaixo do esperado fizeram Kaká perder espaço no Real Madrid. O meia não fez nenhum jogo oficial na atual temporada, depois de uma janela de transferências que ele era o principal nome especulado para deixar o clube merengue. Não deixou. E prometeu lutar pelo seu lugar. Jogou amistosos na pré-temporada, mas nos jogos oficiais ficou apenas no banco.

Na temporada 2011/12, Kaká fez 37 jogos pelo Real Madrid, sendo 22 deles como titular e 15 como reserva. Mesmo como reserva, Kaká teve cinco assistências na Liga dos Campeões da temporada passada, líder no quesito ao lado de Ribéry (Bayern Munique), Benzema (Real Madrid), Messi (Barcelona), Gaitán (Benfica) e Kroos (Bayern Munique).

Mesmo jogando mais partidas como titular do que reserva, Kaká teve poucas vezes uma sequência iniciando as partidas. Por duas vezes, foi titular quatro partidas consecutivas e sua maior sequência foi de seis jogos consecutivos, entre 26 de fevereiro e 24 de março. Nas partidas decisivas contra o Bayern Munique, na semifinal e entrou apenas aos 30 minutos do segundo tempo do jogo de volta. Era, portanto, um reserva.

Desde a pré-temporada, Kaká tem treinado em dois períodos, algo que não é comum na Europa, onde os clubes treinam apenas uma vez por dia. Turíbio Leite, preparador físico pessoal do jogador, disse que Kaká está na sua melhor forma dos últimos três anos. O jogador ainda chama a atenção pela sua dedicação, mesmo aparentemente fora dos planos. Chegou a dizer que se sente como no seu início de carreira no São Paulo, e, portanto, seu objetivo não é ser titular do Real Madrid, mas estar na lista de relacionados. Sem reclamar, o jogador diz que “sua oportunidade irá chegar”.

Kaká pode não ser mais o melhor do mundo, mas ainda é um jogador que tem potencial. Seleção brasileira não é momento. Durante muito tempo, se criticou técnicos que convocam jogadores que são reservas em suas equipes. O treinador pode acreditar que ele renderá. E tratando-se de Kaká, Mano certamente quer observá-lo de perto e ver até onde o meia pode ir. Na situação atual, sem jogadores donos da posição, é um teste válido. E que pode ajudar, e muito, a dar mais cara de Brasil.

Números de Kaká no Real Madrid

89 jogos
25 gols (0,26 por jogo)
25 assistências

Em 2011/12:
39 jogos
25 como titular
14 vindo do banco
2119 minutos jogados
1770 minutos como titular
8 gols
11 assistências

E você, o que acha de Kaká na seleção brasileira?