Uma das tradições do esporte americano é a realização de um All-Star, o famoso Jogo das Estrelas. A escolha dos jogadores que jogam o All-Star é dos torcedores. Bom, ao menos em parte. Foram os torcedores que escolheram Kaká, que faz ótima temporada pelo Orlando City e já marcou nove gols, e David Villa, um dos poucos que se salvam nos jogos fracos do New York City. Os torcedores não votaram, mas Gerrard e Lampard também estarão no All-Star, que será disputado no dia 29 de julho, no Colorado. Como pode isso? Calma, a gente explica.

LEIA TAMBÉM: Hat-trick em nove minutos de Giovinco foi ponto alto do ótimo 4 a 4 entre New York City e Toronto

Na MLS o Jogo das Estrelas é um pouco diferente em relação à NBA, MLS e NFL: não há times de duas conferências jogando um contra o outro. Ao invés disso, é uma seleção de estrelas da MLS que enfrenta um clube europeu em pré-temporada. Uma forma de promover o jogo, ao menos na visão dos organizadores. Até por isso, são menos jogadores escolhidos – só um time, com 22 jogadores, entre titulares e reservas.

Além de Kaká e David Villa, os torcedores votaram ainda em cinco jogadores que estão defendendo a seleção dos Estados Unidos na Copa Ouro. A escolha se baseia em uma lista prévia montada por jornalistas, que escolheram oito jogadores de cada um dos times da MLS para serem votados. Os 10 jogadores com mais votos entram no time. O 11º jogador escolhido foi via Fifa 15, usando o jogador que os jogadores mais usaram para fazer gols. Obafemi Martins, do Seattle Sounders, foi o escolhido nesta categoria.

Além destes 11, outros 11 jogadores serão escolhidos para o time. Dois deles são uma escolha individual do comissionário da MLS, Don Garber. O principal executivo da liga, entõa, escolheu duas estrelas que sequer jogaram pela MLS até aqui: Steven Gerrard, do Los Angeles Galaxy (que estreou em amistoso no fim de semana), e Frank Lampard, que ainda vai estrear pelo New York City. Claro, a ideia é dar visibilidade ao jogo, atraindo a atenção do mundo – e dos ingleses e amantes do futebol inglês, a liga de mais audiência no país na televisão (sim, mais que a própria MLS).

O processo para a escolha final do elenco que jogará a partida contra o Tottenham, porém, é complexo. O técnico do time, Pablo Mastroeni, do Colorado Rapids, irá escolher 20 jogadores. Os escolhidos pelos torcedores não estão garantidos no elenco para o jogo, mas “são levados em consideração”, segundo o site da MLS. Sim, o técnico pode (mas não vai) cortar algum dos 10 jogadores escolhidos pelo público, se quiser. É meio estranho entender isso, mas é assim que funciona.

LEIA TAMBÉM: Era apenas a estreia, mas Gerrard já parecia um líder no Galaxy

O estranho é que Giovinco não foi incluído, nem pela votação dos torcedores, nem pela inclusão do comissionário. Um erro que, esperamos, seja corrigido quando o elenco for completado pelo treinador dos Rapids. Até porque ele tem sido um dos grandes destaques do time do Toronto na liga.

Eis os nomes dos escolhidos pelos torcedores para o Jogo das Estrelas:

Goleiro: Nick Rimando (Real Salt Lake);

Defensores: Omar Gonzalez (LA Galaxy), Matt Besler (Sporting Kansas City), DaMarcus Beasley (Houston Dynamo);

Meio-campistas: Kaká (Orlando City SC), Michael Bradley (Toronto FC), Benny Feilhaber (Sporting Kansas City), Graham Zusi (Sporting Kansas City);

Atacantes: Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), David Villa (New York City FC), Obafemi Martins (Seattle Sounders FC – escolhido via Fifa 15).