Poucas competições já têm algum plano concreto de retorno à disputa. Na Europa, a mais avançada é a Bundesliga, que deve receber em breve autorização do governo para retomar seus jogos de portões fechados, ainda em maio. Já na Ásia, teremos a primeira liga relevante de volta desde a eclosão do Coronavírus: com dois meses de atraso, a K-League começa sua temporada 2020 nesta sexta-feira (8), com um protocolo restrito a ser seguido. Entretanto, um ponto em especial incomoda: evitar conversas em campo.

As instruções aos jogadores começam pela proibição de cumprimentos com as mãos. Os atletas deverão se curvar em direção uns aos outros, à distância. Comemorações de gols poderão acontecer, mas apenas individualmente, e a mais polêmica é a recomendação para que evitem conversar no gramado.

Capitão do Incheon United, Kim Do-hyeok criticou esta última medida. Para ele, “é impossível não conversar com seus companheiros. (…) Se não podemos ter conversas em campo, é melhor nem jogar futebol”.

Além das medidas durante a partida, jogadores e técnicos, é claro, precisam passar por checagens antes dos jogos. Além dos testes realizados rotineiramente, haverá checagem de temperatura antes das partidas. A liga determina também que, caso algum jogador seja infectado, seu time e quem quer que seja que tenha sido adversário dele precisam entrar em uma quarentena de duas semanas.

Confiante em seu protocolo, a Federação Sul-Coreana o encaminhou para diversas confederações nacionais de todo o mundo, dando um caminho para o retorno ao futebol. Entretanto, as próprias diretrizes sul-coreanas suscitam questionamentos, enquanto o procedimento para o caso de jogadores infectados reforça o medo de que uma só infecção poderia parar toda uma competição. Afinal, pode haver um efeito dominó nos casos e, na melhor das hipóteses, a quarentena de pelo menos duas equipes já cria um desequilíbrio esportivo no campeonato.

Mesmo com todas as ponderações, a Coreia do Sul se prepara para reiniciar seu futebol graças ao esforço massivo do governo local de detectar, testar e isolar os infectados em sua população logo no início da crise sanitária. O país foi um dos primeiros fora da China a enfrentar a pandemia e, com conhecimento de causa, executou um plano efetivo de contenção da disseminação do Coronavírus. Oficialmente, contabilizam apenas 10.806 casos até o momento, com 255 mortes, duas nas últimas 24 horas.

Diante do atraso no início da competição, inicialmente previsto para 29 de fevereiro, a K-League teve que mudar seu formato. Os 12 participantes da elite se enfrentarão em turno e returno, e a fase final contará com dois hexagonais, entre os times da parte de cima e os da parte de baixo da tabela.