A Juventus fez uma partida coletivamente excelente, com ótimos coadjuvantes como Spinazzola, Emre Can e Bernardeschi, na vitória por 3 a 0 sobre o Atlético de Madrid, nesta terça-feira, que valeu vaga nas quartas de final da Champions League. No entanto, quem decidiu a noite para a Velha Senhora foi a mesma pessoa que decidiu tantas noites europeias, o homem que a Juventus buscou para fazer exatamente o que ele fez contra o Atlético de Madrid: Cristiano Ronaldo.

LEIA MAIS: Juventus fez jogo perto do impecável para furar defesa do Atlético três vezes e passar às quartas

Cansada de morrer na praia nas últimas temporadas, a Juventus moveu mundos e fundos para contratar um dos dois jogadores mais decisivos da Champions League nos últimos anos, em mata-matas, talvez até mais do que Lionel Messi. Contratou Cristiano Ronaldo porque, por mais que tenha montado grandes times e chegado duas vezes à final, parecia faltar alguém especial que elevasse o patamar na hora certa e não há ninguém muito mais especial do que Cristiano Ronaldo quando o assunto é Champions League.

O português tem 63 gols em partidas eliminatórias da Champions, um abismo à frente do segundo colocado, na era moderna da competição, Messi, com 40. A Juventus sentiu isso na pele. Foi vazada por Cristiano Ronaldo todas as vezes em que cruzou o caminho de um dos maiores artilheiros da história. São dez gols em sete partidas contra a Velha Senhora: três no grupo em 2013/14; dois nas semifinais de 2014/15; dois na final de 2016/17; e três nas quartas de 2017/18.

Fonte: Transfermarkt

E o Atlético de Madrid também sabe muito bem o que é enfrentar Cristiano Ronaldo. Os colchoneros são a vítima favorita do português, que marcou 25 tentos em 31 partidas contra o rival do Real Madrid. Nas últimas cinco eliminações do Atlético de Madrid na Champions League, Ronaldo estava no outro lado.


E não foi nem um jogo monstruoso de Cristiano Ronaldo. Ele levou perigo pela ponta esquerda, criando algumas jogadas de perigo, e, principalmente, estava no lugar certo na hora certa para fazer os dois primeiros gols, com cabeçadas fortes e precisas. Na hora de cobrar o pênalti decisivo, a diferença entre a classificação e uma eventual prorrogação, teve a frieza necessária. Como ele próprio disse depois da partida, foi para isso que a Juventus o contratou.

“Foi uma noite especial. Não apenas pelos gols, mas pela equipe. Atitude incrível. Essa é a mentalidade da Champions. Não ganhamos nada ainda, mas é motivo de orgulho. Estamos em um bom caminho. Foi para isso que a Juventus me contratou, para tentar ajudar. Para fazer meu trabalho e estou muito feliz. Foi uma noite mágica”, afirmou Ronaldo, depois da partida.