O clássico disputado em Milão soava como um déjà vu. Depois de um primeiro tempo sem gols e um jogo equilibrado, a Juventus abriu 2 a 0 sobre o Milan no início da etapa final. Parecia que a história seria o que estamos acostumados a ver nos últimos anos, uma vitória do time zebrado em San Siro e tudo mais. Só que tudo mudou em cinco minutos. O time da casa saiu de um 2 a 0 contra para um 3 a 2 a favor. E, no final, ainda fez mais um, garantindo uma vitória por 4 a 2.

É raro ver uma pane tão grande em um time que se caracteriza por ter uma boa defesa. O que vimos nesta terça-feira em San Siro foi uma Juventus frágil na defesa no segundo tempo, dando espaço e errando muito, contando também com um pouco de azar e um boas atuações do outro lado, especialmente Zlatan Ibrahimovic e Ante Rebic. Os dois acabaram sendo importantes para que a virada acontecesse e a vitória fosse conquistada em Milão.

O jogo parecia que seria como foram os três encontros anteriores na temporada. No primeiro turno, em Turim, 1 a 0 para a Juventus, apertado; nos dois jogos da Copa da Itália, 1 a 1 em San Siro, 0 a 0 em Turim e decisão só no gol fora de casa. Nos últimos 14 jogos pela Serie A contra a Juventus, o Milan tinha perdido 13.

Com tudo isso, o primeiro tempo teve alguns lances perigosos de lado a lado. Leonardo Bonucci chegou perto de abrir o placar em um cruzamento de Federico Bernardeschi. Cristiano Ronaldo também levou perigo, em uma jogada típica sua, saindo da esquerda para o meio e chutando, mas a bola desviou e saiu.

Ibrahimovic também teve sua chance. O sueco chutou duas vezes contra o goleiro Wojciech Szczesny, que defendeu. Ronaldo tentou marcar do outro lado em uma cabeçada, depois de um chute de Higuaín, mas também não conseguiu marcar. O zagueiro Simon Kjaer se jogou em um chute forte de Danilo para bloquear o tiro depois de uma jogada trabalhada.

No final do primeiro tempo, Paquetá achou um belo passe para Ibrahimovic, que saiu na cara do goleiro. Com tranquilidade, o atacante posicionou o corpo e tocou no canto, colocando a bola na rede. Só que foi marcado impedimento do jogador e o gol foi anulado.

No começo do segundo tempo, o meio-campista Rabiot saiu carregando a bola pelo meio, depois de colocar entre as pernas de Théo Hernández, avançar pela direita, puxar para o meio tirando de Alessio Romagnoli e chutar cruzado, no ângulo: um golaço do francês. Juventus 1 a 0 em Milão.

Poucos minutos depois, a defesa do Milan resolveu dar um presente logo para um jogador que não costuma recusar, Cristiano Ronaldo. Em um lançamento longo, Romagnoli e Kjaer se chocaram e a bola caiu na costa de ambos para o camisa 7 da Juventus. Ele recebeu e, com a frieza que lhe é costumeira, finalizou de pé esquerdo, no canto, só tirando de Gianluigi Donnarumma: 2 a 0.

O Milan conseguiu voltar ao jogo aos 17 minutos. Depois de um pênalti de Leonardo Bonucci que tocou com o braço na bola em um cruzamento. Zlatan Ibrahimovic cobrou bem, tirando do goleiro e diminuindo o placar: 2 a 1. O gol fez o Milan renascer e logo depois, o time arrancou o empate, novamente com participação de Ibrahimovic. Desta vez, Kessié chegou pelo meio, tocou para Çalhanoglu, que tocou para Ibrahimovic. O sueco ajeitou para Kessié que recebeu e, dentro da área, chutou para marcar: 2 a 2, aos 21.

O empate a jato parecia já um grande feito. Só que logo depois, o Milan virou. Çalhanoglu tocou para Rebic, que tentou passar pela marcação e caiu. A bola sobrou para Rafael Leão, que pegou a bola, foi para cima da marcação e tocou no canto de Szczesny: 3 a 2, aos 22 minutos. Inacreditavelmente, em cinco minutos o Milan virou o jogo contra a Juventus em San Siro.

O técnico Maurizio Sarri mudou o time logo depois do terceiro gol. Fez três alterações de uma só vez: sacou Rabiot, Higuaín e Pjanic para colocar em campo Blaise Matuidi, Douglas Costa e Aaron Ramsey. A Juventus tentou reagir, mas o time pouco conseguia fazer. E mais do que isso, a defesa da Juventus parecia atordoada. Todo ataque do Milan começou a ser perigoso.

A pane parecia tão grande que o brasileiro Alex Sandro, normalmente muito confiável, cometeu um erro grosseiro. Pressionado, o lateral tentou virar o jogo para o outro lado, só que errou o passe. Jogou no peito de Giacomo Bonaventura, que dominou e rapidamente tocou para o meio. Rebic finalizou girando e venceu Szczesny: 4 a 2, aos 35 minutos.

O jogo parecia definido quando Ronaldo recebeu um lançamento nas costas da zaga, fez a finta na defesa e finalizou para as redes, mas a posição do jogar era de impedimento. O gol não foi validado. No fim, não houve mais mudanças no placar. A Juventus sofreu um colapso raro de assistirmos, graças a um Milan que aproveitou a rachadura na defesa bianconera para demolir os rivais em San Siro.

Depois de uma vitória por 3 a 0 sobre a vice-líder Lazio, o Milan fez uma outra grande partida para derrubar também a líder da Serie A. Com isso, o time sobe à quinta colocação na tabela, com um ponto a mais que a Roma, que ainda joga na rodada. Muito longe da Atalanta – 14 pontos, sendo mais preciso – o que torna a briga por vaga na Champions impossível. Mas chegar à Liga Europa, para o Milan, já é importante. É fundamental que o clube tente se manter ali. E duas vitórias como a que os rossoneri viram nos dois últimos jogos é algo bem animador.

A Juventus não sofre muito com a derrota. Além do impacto de perder um clássico, que é sempre ruim, na tabela não há um grande abalo. O time tem 75 pontos, sete pontos a mais que a Lazio, que também perdeu na rodada para o Lecce e ficou em situação complicada. Restam sete rodadas para o fim da Serie A, mas há pouca perspectiva que a situação mude. O scudetto parece mais uma vez ter como destino o lado alvinegro de Turim.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore