Di Stéfano, Sivori, Butragueño, Del Piero, Raúl, Nedved, Ronaldo, Trezeguet, Roberto Carlos, Cristiano Ronaldo. A lista de grandes jogadores que já balançaram as redes em Real Madrid x Juventus é extensa. Os gigantes se cruzaram oito vezes por competições europeias, sempre pela Liga dos Campeões. Os merengues possuem leve vantagem, com oito vitórias e sete derrotas. E as boas lembranças se dividem entre os dois lados. O gol decisivo de Mijatovic na final de 1998, que encerrou o jejum de 32 anos do Real. A vez em que Del Piero saiu ovacionado pelo Bernabéu. A maestria de Zidane, desfrutada pelas duas torcidas. E o reencontro deste ano pode marcar o último grande momento na Champions de duas lendas. Que, ao invés de marcarem gols, evitaram que a lista de craques acima fosse ainda maior.

VEJA TAMBÉM: Novo versus renovado: o Bayern x Barça reflete o passado para definir as ideias do futuro

Gianluigi Buffon e Iker Casillas se consagraram como os melhores goleiros do futebol europeu desde o final da década de 1990. Tiveram a concorrência de outros monstros no continente, como Van der Sar, Kahn, Cech e Neuer. Mas se mantiveram por bem mais de uma década como referências na posição, independente de quem competisse com eles pelo posto de melhor do mundo. Conquistaram a Copa do Mundo com atuações brilhantes e defesas decisivas. Buffon ergueu a taça graças à cabeçada de Zidane que espalmou. Casillas ficou com ela quatro anos depois muito pela saída providencial nos pés de Robben. Mais do que isso, se tornaram verdadeiras bandeiras em seus clubes, ídolos absolutos em Juve e Real.

Buffon foi e ainda é um goleiro mais completo do que Casillas. O senso de posicionamento do italiano é impecável, assim como a sua elasticidade se sobressai. Contudo, em meio à política de “Pavones e Zidanes” do Real Madrid, o espanhol foi mais espetacular. Sua explosão e sua capacidade de antecipação geraram várias defesas antológicas. Não que Buffon também não as tivesse, ou que Casillas tivesse problemas em seus fundamentos. Cada um a sua maneira, duas lendas, que a história não deixa de exaltar. Os melhores de todos os tempos em seus países, como Zoff concorda e Zamora concordaria.

VEJA TAMBÉM: Essas são as semifinais da Champions League 2014/15 (e da Liga Europa)

Nos últimos anos, porém, Buffon e Casillas caíram um pouco de nível. Algo natural da idade, que não os impediu de seguirem entre os melhores do mundo. Mas, ainda que continuasse acumulando jogos e jogos sem sofrer gols pela Juve, Buffon começou a sofrer alguns gols que não tomaria anos atrás. Assim como Casillas, ainda campeoníssimo pelo Real, mas falhando muito além do costume. O espanhol, de um jeito até mais marcante, vaiado pela torcida também por problemas internos e precisando esquentar o banco várias vezes.

A semifinal da Champions, assim, pode representar uma última chance para os mitos. Buffon volta a ficar entre os quatro melhores da Europa após dez anos. Terá a chance de conquistar o único grande título que lhe falta na carreira. Em 2003, parou justamente o galáctico Real Madrid de Zidane e Ronaldo nas semifinais. Mas, apesar de operar aquele que considera o maior milagre da carreira, perdeu o título nos pênaltis para o Milan de Dida. Já Casillas poderá erguer a “orelhuda” pela quarta vez. Errou na final do último ano, mas também fez outras tantas defesas decisivas nos mata-matas, importantes para o título. E, nas últimas semanas, parece recuperar um pouco da velha forma, com grandes atuações no Espanhol.

VÍDEO: Cristiano Ronaldo acertou uma bolada neste menino, mas lhe deu motivos para sorrir depois

Pela idade, Buffon deve ter a oportunidade derradeira de disputar a final da Champions, até porque a Juve não tem se acostumado a chegar tão longe no torneio continental. Pelas especulações sobre seu futuro, Casillas também deve ter a oportunidade derradeira, por mais que o Real seja candidato ao troféu por mais alguns anos. Que seja um grande encontro de goleiraços. E que sejam dois jogões por 0 a 0, com Buffon e Casillas realizando inúmeros milagres. Só a loteria dos pênaltis, consagradora para os goleiros, será digna de definir qual das lendas terá a chance de estar em Berlim, talvez na última final da carreira.

1961/62 – Quartas de final da Champions
Juventus 0x1 Real Madrid (Di Stéfano)
Real Madrid 0x1 Juventus (Sivori)
Juventus 1×3 Real Madrid – em Paris (Felo, Del Sol, Tejada | Sivori)

1986/87 – Oitavas de final da Champions
Real Madrid 1×0 Juventus (Butragueño)
Juventus 1×0 Real Madrid, 1×3 nos pênaltis (Cabrini)

1995/96 – Quartas de final da Champions
Real Madrid 1×0 Juventus (Raúl)
Juventus 2×0 Real Madrid (Del Piero, Padovano)

1997/98 – Final da Champions
Juventus 0x1 Real Madrid (Mijatovic)

2002/03 – Semifinal da Champions
Real Madrid 2×1 Juventus (Ronaldo, Roberto Carlos | Trezeguet)
Juventus 3×1 Real Madrid (Trezeguet, Del Piero, Nedved | Zidane)

2004/05 – Oitavas de final da Champions
Real Madrid 1×0 Juventus (Helguera)
Juventus 2×0 Real Madrid (Trezeguet, Zalayeta)

2008/09 – Fase de grupos da Champions
Juventus 2×1 Real Madrid (Del Piero, Amauri | Van Nistelrooy)
Real Madrid 0x2 Juventus (Del Piero, Del Piero)

2013/14 – Fase de grupos da Champions
Real Madrid 2×1 Juventus (Cristiano Ronaldo, Cristiano Ronaldo | Llorente)
Juventus 2×2 Real Madrid (Vidal, Llorente | Cristiano Ronaldo, Bale)