Após a derrota para o Bayer Leverkusen no sábado (30), pela Bundesliga, figuras importantes do Bayern de Munique vieram a público exaltar o curto trabalho feito por Hans-Dieter Flick até aqui no comando dos bávaros como técnico interino. Enquanto o CEO do clube, Karl-Heinz Rummenigge, revelou a satisfação da diretoria com o novo treinador, Jupp Heynckes, ex-técnico vencedor no Bayern, classificou Flick como o “homem ideal” para a equipe, “capaz de moldar uma era”.

Em texto publicado na revista alemã Kicker, Heynckes foi muito elogioso do trabalho de “Hansi” Flick. Receber cumprimentos é sempre bom, mas fica ainda mais especial quando vem de uma lenda em seu ofício e um ídolo de seu clube.

“O Hansi Flick é predestinado a este trabalho como técnico do Bayern e é o homem ideal para essa posição, inclusive para além desta temporada 2019/20”, cravou Heynckes, que venceu quatro Bundesligas e uma Champions League em três passagens completas pelo Bayern.

O técnico aposentado defendeu que a escolha por um treinador precisa ser baseada mais em filosofia do que em resultados curtos. E, para ele, Flick tem um talento que precisa ser nutrido.

“Ele conhece o clube e a cobrança extrema por resultados em Munique. Não se trata de pequenos instantes, mas, sim, do know-how fundamental do treinador, sua expertise e seu lado humano, sua filosofia. Ele é uma joia de treinador. Um talento como esse precisa ser reconhecido e desenvolvido.”

Até agora, desde a demissão de Niko Kovac, houve apenas cinco jogos de Flick no comando do Bayern de Munique. Para Heynckes, no entanto, este curto período já foi suficiente para “fazer o time parecer completamente diferente, jogando um futebol atrativo e voltado para o lado coletivo”.

De fato, os números são bons para Flick. Antes da derrota por 2 a 1 para o Bayer Leverkusen em seu quinto jogo no cargo, “Hansi” havia vencido seus quatro primeiros duelos, marcando uma média de quatro gols por partida e saindo de todos os jogos sem ser vazado.

“O Bayern agora tem uma grande chance de ter um técnico por um longo período, capaz de moldar uma era”, projetou Heynckes, que conhece bem Flick, já que foi seu técnico nos últimos três anos deste como jogador do time de Munique, entre 1987 e 1990.

Dentro do clube, Rummenigge, CEO, também parece muito satisfeito com o interino. Após a derrota por 2 a 1 para o Leverkusen, falou que o resultado não alterava a percepção do trabalho do técnico. “O mais importante é o seu plano, a qualidade de jogo, e com o Hansi Flick, a qualidade é boa.”

“Estamos muito contentes com ele, sentimos muita empatia e também uma visão clara”, exaltou Rummenigge, acrescentando que a diretoria irá discutir com o treinador uma possível permanência até pelo menos o fim da temporada.