Jornais catalães querem colocar refugos no Barcelona

Trezeguet, Santa Cruz, Valdez e Agirretxe são alguns dos nomes citados para ocupar o posto de centroavante no Barça. Também fizemos nossa lista, com seis nomes do Brasileirão

Ainda falta muito para o início da janela de transferências de inverno, mas os torcedores do Barcelona amanheceram nesta quarta-feira com os nomes que podem aparecer no Camp Nou em 2014. Sport e Mundo Deportivo estamparam em suas capas os potenciais reforços dos blaugranas para a metade final da temporada. Unanimidade em ambos os jornais, o colombiano Éder Balanta, revelação do River Plate, é o nome da vez para a zaga. O problema são as opções que os periódicos especulam para o ataque do Barça.

As duas publicações batem na tecla de que Tata Martino quer um centroavante para ser coadjuvante. Que aceite ficar na reserva na maioria dos jogos, mas que tenha capacidade de segurar as pontas quando o time precisar de uma referência na área. De certa forma, algo que Henrik Larsson fez nos tempos de Frank Rijkaard, que teve atuações decisivas no bicampeonato de La Liga e no título da Liga dos Campeões de 2006.

O Sport cita nomes que estão longe da badalação, mas a maioria impõe respeito na hora de estufar as redes, como Graziano Pellè e Aritz Aduriz – ainda que Dario Cvitanich, Imanol Agirretxe e Artem Dzyuba também sejam citados. Enquanto isso, o Mundo Deportivo preparou uma lista de refugos caprichada. Óscar Cardozo, indicado pelos dois jornais, e Miroslav Klose, que aos 35 anos parece velho demais para a aventura, são os únicos que fogem dessa característica. O problema é listar Roque Santa Cruz, reserva do Málaga até outro dia; Nelson Valdez, na época de caçar dinheiro no Al Jazira; e David Trezeguet, que esquenta o banco do Newell’s Old Boys. Por incrível que pareça, o nome mais plausível é o de Georgios Samaras, que, apesar da fama de tosco, se encaixaria no perfil procurado. Não à toa, o grego lidera a enquete feita pelo site do MD.

Afinal, se o Barcelona quer tanto um refugo, por que não vir buscar no Brasil? Se Tata Martino quiser, listamos seis nomes “quentes”:

keirrison-apresentado-no-barcelona-1261335774084_956x500

Keirrison, do Coritiba – Na verdade, o K9 não seria uma contratação do Barcelona. Os blaugranas só precisariam adiantar o término do empréstimo ao Coxa, que vigora até junho de 2014. O atacante não fez uma partida oficial sequer pelo clube espanhol, mesmo tendo sido contratado em 2009, por € 14 milhões. Mas nem no Alto da Glória ele tem espaço, com somente cinco aparições no Brasileirão.

William Batoré, da Ponte Preta – Depois de Neymar, o Barcelona poderia apostar em outro Menino da Vila. O centroavante possui 13 gols no Brasileirão e 28 no ano, na melhor fase da carreira. William ainda tem como diferencial o fato de já ter jogado na Europa. Tudo bem que foi reserva na segunda divisão do Francesão, com o Guingamp, mas já está valendo.

Fernandão, do Bahia – Se o Tricolor se mantém afastado da zona de rebaixamento, deve muito a seu goleador. Com 11 gols e duas assistências, Fernandão participou de 48,1% dos tentos dos baianos. Uma fase tão boa que deixa no banco centroavantes famosos, como Obina e Souza. E jogar a Champions não deve ser problema, já que ele lida muito bem com a pressão, como demonstrou certa vez ao marcar um gol decisivo em um Palmeiras x Corinthians.

Wellington Paulista, do Criciúma – Seis meses depois de voltar ao Brasil, Wellington Paulista teria a chance de voltar à Europa. O atacante não se deu bem na passagem pelo West Ham, limitado a participações esporádicas e jogos com equipes de base, mas isso não seria problema. O centroavante titular do Criciúma disputou 14 jogos no Brasileiro, com três gols.

Alecsandro, do Atlético Mineiro – Um nome conhecido de Tata Martino. Alecsandro abriu a vitória nos pênaltis do Galo sobre o Newell’s Old Boys na Libertadores. Reserva de Jô em BH, não teria vaidades para ficar no banco também no Camp Nou. E, mesmo saindo do banco em oito dos 17 jogos que fez no Brasileiro, balançou as redes cinco vezes.

Walter, do Goiás – Pensou que nos esqueceríamos dele? Negativo. Walter seria perfeito para dar variação de jogo ao Barça. Ao invés de um atacante leve como Messi, um nome pesado, capaz de romper retrancas com o trabalho de pivô e dono de um chute potente. O ídolo do Goiás seria até mesmo uma peça importante para o marketing blaugrana. E, sem brincadeira agora, Walter coloca no bolso quase todas as sugestões de Mundo Deportivo e Sport.

* Aviso: a matéria está repleta de ironia. Leve-a tanto a sério quanto as especulações dos jornais catalães.