O meio-campista Jorginho é natural de Imbituba, em Santa Catarina, mas mora desde os 15 anos na Itália. Se formou jogador no Verona, se transferiu para o Napoli e atualmente está no Chelsea, onde vai muito bem. Na seleção italiana desde 2017, o jogador, de 27 anos, falou sobre a vitória por 9 a 1 sobre a Armênia, que fechou uma campanha de 10 vitórias em 10 jogos.

“Talvez tenha um pouco de Brasil nesta Itália. Nós temos uma abordagem ofensiva, nós poderíamos ter no contido, mas mesmo com respeito pelos nossos adversários, nós queríamos continuar aproveitando nosso futebol e divertindo a plateia que veio ao estádio nos ver”, afirmou o meio-campista à Rai Sport.

“Nós estamos nos preparando para os testes mais importantes contra os grandes times. Nós estamos trabalhando nas nossas áreas fracas e aproveitando os elementos mais fortes para o jogo. Eu acho que podemos alcançar grandes coisas juntos”, continuou o jogador do Chelsea.

“É importante para todos nós ganharmos experiência, já que nós temos um elenco jovem e muito a aprender, o tipo de coisas que você pode apenas aprender jogando no mais alto nível. Então nós temos que continuar assim e esperar aprender com os grandes desafios que estão chegando”, afirmou o jogador.

Jorginho foi perguntado sobre a sua forma de cobrar pênaltis. O jogador nunca errou pênaltis pela Itália. O ítalo-brasileiro foi perguntado sobre a sua paradinha no meio da corrida. “Eu não posso revelar meus segredos! Você tem que estudar e ver. O importante é que a bola entre e eu estou muito feliz com o gol, assim como por essa vitória maravilhosa. É o resultado de muito trabalho duro deste time”, disse.

A excelente campanha italiana, com 10 vitórias em 10 jogos, rendeu ao time um lugar no pote 1 do sorteio da Eurocopa, que acontece no dia 30 de novembro, em Bucareste. Ou seja, a Itália será cabeça de chave no sorteio, junto com Bélgica, Inglaterra, Alemanha, Espanha e Ucrânia. Há, porém, times importantes nos demais potes. O pote 2, por exemplo, traz a campeã do mundo, França, além da renovada Holanda. Portugal, campeã europeia em 2016, está no pote 3.

O técnico italiano, Roberto Mancini, foi perguntado se os adversários prefeririam escapar do confronto com a Itália, que irá jogar suas três partidas da fase de grupos em casa, na capital Roma. “Eu não sei. Eu digo que eles são mais fortes porque eles estão à frente de nós em seus trabalhos. A França ganhou a Copa do Mundo e é um grupo jovem. A Espanha é o mesmo. A Bélgica desenvolveu muitos jogadores extraordinários nos últimos 5 ou 6 anos. Depois disso, eu acho que os outros prefeririam evitar a Itália por causa da nossa história”, afirmou.

Há um risco para a própria Itália em ficar em um grupo da morte com, por exemplo, França e Portugal, finalistas da última edição da Eurocopa. A Itália é quem irá abrir a Eurocopa 2020, com um jogo em Roma, no dia 12 de junho.