A Procuradoria-Geral de Portugal confirmou a realização de 76 buscas por documentos dentro da operação Fora de Jogo, que investiga lavagem de dinheiro e evasão fiscal em transferências de jogadores de futebol. Inspetores da receita estiveram nas sedes de clubes portugueses, incluindo os três grandes, nos domicílios de seus presidentes e de jogadores como Iker Casillas e também no escritório da empresa Gestifute, do super-agente Jorge Mendes.

A operação começou em 2015 e conta com com informações do hacker Rui Pinto, responsável pelo vazamento dos documentos do Football Leaks, entre eles os que complicaram a vida do Manchester City com o Fair Play Financeiro da Uefa. Extraditado pela Hungria, Pinto está sob prisão preventiva em Lisboa à espera de julgamento.

Segundo comunicado da PGR, reproduzido pelo jornal Record, o inquérito investiga negócios realizados a partir de 2015 que teriam envolvido “atuações destinadas a evitar o pagamento de prestações tributárias devidas ao Estado português, através da ocultação ou alteração de valores e outros atos inerentes a esses negócios, com reflexo na determinação das mesmas prestações”.

“Em causa, estão fatos sucetíveis de integrarem a prática de crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais. O inquérito encontra-se em segredo da Justiça”, disse.

Segundo o El País, entre os negócios investigados estão as idas de Jackson Martínez do Porto ao Atlético de Madrid (€ 35 milhões), de Nélson Semedo do Benfica ao Barcelona (€ 30 milhões), de Gonçalo Guedes do Benfica ao PSG e ao Valencia (€ 37 milhões) e o de Renato Sanches dos Encarnados ao Bayern de Munique (€ 35 milhões).

As buscas foram realizadas nas sedes dos três grandes de Portugal e também de Braga, Estoril, Vitória de Guimarães, Marítimo e Portimonense. Chegaram às casas de Pinto da Costa, Luis Felipe Vieira e Frederico Varandas, respectivamente, presidentes de Porto, Benfica e Sporting.

Casillas, candidato à presidência da Federação Espanhola, emitiu um comunicado confirmando a presença de fiscais da Receita em sua casa e dizendo que se colocou à disposição para colaborar a todo momento e apresentar a documentação solicitada. “Iker Casillas manifesta que está absolutamente tranquilo a respeito das investigações e que tem plena confiança na Justiça portuguesa”, disse.

O Porto disse que “como sempre está a colaborar com a Justiça”. O Sporting se congratulou por colaborar com as autoridades competentes em prol de uma maior verdade desportiva e transparência”. O Benfica também emitiu comunicado dizendo que colaborou com as autoridades.