Jonas encarnou o que torcedores do Benfica esperavam para ser decisivo

O relógio, um adversário duro, já marcava os torcedores mais forte do que qualquer zagueiro. Unhas eram devoradas em meio à arquibancada que esperava uma carta na manga, um coelho na cartola, um sinal divino. Aquele momento do futebol que os ateus pedem ajuda a todas as entidades místicas que conhece e até das que não conhece. O gol já é quase um milagre. Como será que ele pode vir? O torcedor lembra da derrota no último jogo, da perda da liderança, bate o medo de ver mais uma classificação ir para o ralo. Mas o gol veio. E se não há mais a arquibancada de cimento que enlouquece os mais humildes cidadãos ali presentes, há a legítima emoção de torcedores que viram seu Benfica vencer o Zenit, na abertura das oitavas de final da Champions League.

LEIA TAMBÉM: PSG colocou o Chelsea contra a parede e ressaltou a sua força na luta pela Champions

O Benfica tem sofrido no Campeonato Português, viu o Porto sair do Estádio da Luz vencedor na última sexta-feira, e Jonas, artilheiro da equipe na temporada e que briga pela Chuteira de Ouro da Europa, tem sido cobrado. O artilheiro do time precisa ser decisivo nos jogos grandes. Jonas sabia da responsabilidade e fez valer a grande fase. Fez um gol decisivo que dá uma vantagem importante para os encarnados, que tiveram que enfrentar um Zenit para lá de encardido em Lisboa. Venceram na marra. E agora irão a São Petesburgo para buscar a vaga.

O Zenit foi muito dominador na primeira fase da Champions League, com uma classificação tranquila. Só que o grupo era muito fácil. Foi o primeiro colocado no Grupo H, que teve o Gent como segundo colocado e Valencia e Lyon, os favoritos na teoria, fracassando. Faltava um teste de verdade. E no primeiro teste, no mata-mata, o time falhou. Teve uma atuação muito ruim, com Hulk muito preso, sem conseguir ser o jogador perigoso e mortal que consegue ser.

O Benfica foi mais time todo o jogo. Dominou a posse de bola, passou dos 65% de posse de bola em quase todo o jogo. Viu o Zenit encolhido no campo de defesa. Só que também sofreu. Os encarnados não conseguiam vencer a barreira imposta pelo time russo. Faltava algo, um passe decisivo, um chute certeiro. Um artilheiro. O artilheiro.

Jonas enfiou a cabeça na bola sem medo, sem dó. Se jogou na bola para fazer o que dele se espera, o que os torcedores se acostumaram a gritar: GOLO! GOLO DE JONAS! Mais um gol do brasileiro que chegou a 25 gols na temporada (23 só na liga portuguesa) e consegue tirar um peso das costas. Um peso que só quem sobe a um nível alto carrega: o de ser decisivo. A torcida o cobrava para ser decisivo nos jogos grandes. Veio  um gol em mata-mata. Em um jogo que o Benfica não foi grande coisa, mas venceu. E vencer é o mais importante.

Agora a missão será em São Petesburgo. E os encarnados contarão novamente com Jonas. Mas os russos contam que Hulk, em casa, possa fazer a diferença. Isso só saberemos daqui a duas semanas, quando os dois times voltarem a se encarar. O jogo de volta será no dia 9 de março. Tudo indica que será muito apertado e com belas doses de drama.

Não viu o jogão entre Sport Lisboa e Benfica e Zenit?! Então confere aí os Melhores Momentos da partida no Estádio da…

Posted by Esporte Interativo on Tuesday, February 16, 2016