A neve começou a cair pouco antes do pontapé inicial e, à altura do intervalo, cobria o gramado do Dick’s Sporting Goods Park, no Colorado. A partida teve que ser interrompida diversas vezes para que a neve fosse empurrada para fora de campo. Foram nessas condições que o time da casa, o Rapids, recebeu o Portland Timbers para a primeira rodada da nova temporada da Major League Soccer, no que acabou se tornando o jogo mais frio da história da liga americana.

LEIA MAIS: Oito histórias para acompanhar na nova temporada da Major League Soccer

A temperatura de -7,7 graus celsius (18ª fahrenheit) no pontapé inicial, segundo a ESPN americana, é a menor já registrada pela MLS, superando os -7,2 graus celsius (19ª fahrenheit ) da estreia do Minnesota United na liga, em 2017. A MLS afirmou que este foi o seu 13º jogo com neve e seis deles foram realizados no Colorado.

Apesar das condições precárias, a partida foi bem movimentada. O Colorado Rapids abriu o placar, aos 16 minutos, com Kei Kamara, e teve Axel Sjoberg expulso, pouco depois. O Timbers alcançou a virada, com gols de Diego Valeri e Sebastian Blanco. Benny Feilhaber empatou para os donos da casa, e Deklan Wynne restaurou a vantagem dos visitantes.

Nos acréscimos, Andre Shinyashiki, natural de São Paulo, arrancou o empate por 3 a 3. “Eu cresci no Brasil e não passei por esse clima, mas [na Universidade de Denver] houve alguns jogos com esse frio. Talvez não com tanta neve, mas definitivamente frio. Então, estou meio acostumado com isso”, disse.

Além dos gols, fica o registro de imagens fantásticas do estádio coberto de neve no Colorado.

E como bônus, esse doidão aí sem camisa, com quase oito graus negativos: