O Bayern de Munique saiu de campo contra o Real Madrid como o time que pareceu estar melhor ao longo dos dois confrontos, mas foi eliminado. Avaliar quem é melhor em um confronto é algo relativo, mas o Bayern esteve uma grande parte do tempo no ataque, chutou muitas vezes a gol, mas desperdiçou muitas chances de marcar, especialmente no primeiro jogo. O saldo final é de eliminação, frustração e irritação dos jogadores do Bayern após o jogo.

LEIA TAMBÉM:
– Mais copeiro que brilhante, Real Madrid elimina Bayern e vai à sua terceira final de Champions seguida
– Contestados, Benzema e Navas dão a volta por cima com atuações decisivas

Depois de um bom jogo na partida de ida em Munique, o Bayern acabou derrotado por 2 a 1. Por isso, precisava de uma vitória jogando na casa do adversário. E conseguiu um gol cedo, o que é sempre algo positivo para quem precisa de um resultado. Só que o jogo, no fim, acabou sendo decidido com dois gols de Benzema, o segundo deles, em uma falha de Ulreich. Além disso, o time ainda reclama um pênalti não marcado no primeiro tempo, em uma mão de Marcelo.

“Nós demos dois gols de presente ao Real Madrid nos dois jogos. Isso acontece no futebol às vezes, mas erros gritantes como esses não podem acontecer nesse nível. Nós éramos melhores, nós tivemos chance depois de chance, mas nós não aproveitamos e isso nos custou. Não é basta nós lutamos muito e jogarmos bem. Se você quer ganhar esse título, é necessário ser preciso”.

Alaba: “Nós estamos completamente decepcionados. Nós merecemos chegar à final. Estamos bem conscientes de que falhamos ao não aproveitar um grande número de chances. Nós sofremos a derrota como um time, nós não deixamos o segundo gol nos perturbar”.

“Nós jogamos um bom jogo de novo. É muito, muito irritante que nós tenhamos sido eliminados. Depois do empate, houve uma onda de euforia. Agora estamos todos decepcionados”, afirmou o zagueiro Nicklas Süle, autor do passe para o segundo gol do Bayern.

“Assim como o meu time, eu estou decepcionado que nós não avançamos. Nós merecíamos chegar à final. Mas eu não sou melancólico, eu tenho uma visão realística do resultado”, afirmou Jupp Heynckes. “Se vocês olharem os dois jogos, nós fomos o melhor time. Nós éramos capazes de chegarmos à final, eu estou muito decepcionado. Se nós olharmos para o jogo hoje, os dois lados jogaram bem, foi um jogo bonito, de alto nível. Nós dominamos, eu acredito, e eles deveriam agradecer a Navas por seu desempenho espetacular, especialmente no final”, continuou o treinador.

“É difícil aceitar. Depois de um primeiro tempo brilhante, é difícil tomar um gol tão cedo em um momento delicado. O moral do meu elenco está alto e esteve durante todo o jogo. Nós jogamos muito bem e fomos fluidos. Tudo que o Madrid estava fazendo era contra-atacar do seu próprio campo. O meu time jogou bem. Eu não via o Bayern jogar tão bem em um longo tempo e alguns dos nossos jogadores estavam machucados também, e jogar assim no Bernabéu em frente a 80 mil pessoas com essas circunstâncias é ótimo”, continuou Heynckes.

“Nós não podemos prever a final. Roma e Liverpool enfrentarão um ao outro. Parece mais provável que avance e eu acho que a final será equilibrada, um jogo duro. Eu não posso dizer quem é favorito”, avaliou o veterano treinador.

“Nós sempre temos que olhar para o contexto geral, nos dois jogos. No primeiro jogo, depois de alguns minutos, eu tenho que substituir Robben e Boateng, então isso tornou as coisas muito mais difíceis para nós. Nós tivemos cinco titulares ausentes, então isso afetou o resultado desses dois jogos, mas todos os nossos jogadores estavam aptos à tarefa. Não é uma desculpa”, disse ainda Heynckes.

“Meu último jogo de Champions League antes dessa temporada tinha sido em 2013 contra o Borussia Dortmund. Eu nunca pensei que teria outra, mas as coisas mudaram. Eu posso dizer tranquilamente que este foi o meu último jogo esta noite. Eu nunca serei um técnico de novo. Isso está bem, eu não acho que há muitas pessoas de 72 anos que precisem tomar essa decisão”, disse ainda o veterano.

“Eu estou decepcionado com o resultado. O empate foi uma derrota para nós. Nós treinamos e trabalhamos por nove meses, construímos um bom grupo. Meus jogadores são todos fortes e é realmente uma pena que as coisas terminem assim”, afirmou.

O treinador defendeu o goleiro Sven Ulreich, que falhou no segundo gol do Real Madrid. Ele vinha fazendo uma boa partida até ali. “Ulreich ficou confuso, ele teve um pequeno apagão. Ele não sabia se poderia pegar a bola [com as mãos], percebeu que não podia, ficou nervoso e isso foi o que aconteceu. É algo terrível para um jogador viver. Foi um mau momento para o meu time, mas nós tivemos muitas chances para marcar e meu goleiro realmente jogou bem no geral”, disse.

O Bayern ainda tem a chance de mais um título nesta temporada, depois de conquistar a Bundesliga. Fará a final da Copa da Alemanha, no dia 19 de maio, contra o Eintracht Frankfurt. Curiosamente, será contra o time do seu futuro técnico, Niko Kovac.