Os tempos gloriosos do Bolton, definitivamente, ficaram para trás. Ao longo da década passada, os Whites acumularam campanhas significativas na Premier League, montando times recheados de figurões em final de carreira e conquistando até mesmo vagas para a Copa da Uefa. Todavia, o clube nunca se recuperou da queda para a Championship em 2012 e amargou abismos mais profundos desde então. Figurante na segundona, a equipe fez um “bate e volta” para a League One entre 2016 e 2017, antes de amargar outro rebaixamento à terceirona nesta temporada. Por trás do péssimo rendimento esportivo, a má gestão culmina em uma greve. A Football League confirmou que o jogo contra o Brentford, que aconteceria neste sábado, não será realizado porque os jogadores cruzarão os braços contra os salários atrasados.

A crise econômica no Bolton se arrasta há anos. As dívidas do clube são crescentes e, em 2015, os Whites sofreram um embargo no mercado de transferências por não pagarem os juros devidos. Chegaram até a melhorar sua situação na época do acesso à League One, mas voltaram a se complicar ao longo desta temporada, ao não cumprirem seus compromissos com os credores. Às portas de declarar falência, o clube pagou parte dos débitos no último dia possível e evitou a perda de 12 pontos na Championship. Ainda assim, não foi o suficiente para escapar do rebaixamento, confirmado na última semana. E os jogadores, que mantiveram seu profissionalismo durante o período, resolveram escancarar os problemas internos nesta semana.

À beira de ser assumido por novos donos, o Bolton precisou fechar seu centro de treinamentos temporariamente em março e alguns jogos do clube estiveram sob ameaça de acontecer sob portões fechados, diante da falta do certificado de segurança ao estádio. Já nesta sexta-feira, véspera do jogo contra o Brentford, os jogadores declararam sua greve. Ganharam o apoio da Associação de Futebolistas Profissionais (PFA). Seria o último jogo em casa nesta caótica temporada dos Whites. Os atletas, que ainda não receberam os salários relativos a março, prometem seguir o movimento enquanto o dinheiro não surgir em suas mãos.

“A longa crise financeira no nosso clube tem sido bem documentada. O elenco ainda não recebeu os salários de março. Cinco membros da comissão técnica também não. Nós nos esforçamos para continuar os treinamentos durante este período extremamente difícil, sem qualquer solução à vista. Pensamos que a futura aquisição do clube proporcionaria uma resolução, mas as dificuldades no processo não nos deram outro caminho. A situação está criando danos mentais, emocionais e financeiros a pessoas que não têm culpa pela situação”, posicionaram-se os jogadores. Em novembro e dezembro, os salários só caíram a tempo porque a PFA realizou um empréstimo. Já em fevereiro, houve um atraso que culminou em greve de 48 horas durante os treinamentos. Agora, a situação se expande.

O clube escreveu uma carta em que tenta se eximir do problema, mesmo sendo o causador: “O Bolton lamentavelmente confirma que a partida contra o Brentford foi cancelada. O clube pede desculpas pelo inconveniente que isso causará. Uma nova atualização será feita no devido momento”. Diante da situação, o Brentford poderá ser declarado o vencedor da partida e ganhar os três pontos relativos ao confronto, embora a organização da Football League ofereça margem para que o duelo seja remarcado a outra data nos próximos dias. A Football League ainda precisará avaliar qual será a conduta diante do imbróglio.

Em nota oficial, a Football League lamentou o ocorrido: “Diante do fracasso do Bolton em providenciar uma confirmação formal para cumprir seu compromisso contra o Brentford, o jogo não será realizado conforme o planejado. Mais cedo, na sexta-feira, os jogadores do clube emitiram um comunicado confirmando que eles não atuarão no restante da temporada, a menos que recebam os salários atrasados. Como resultado desse episódio decepcionante, a liga foi forçada a suspender o evento deste sábado e, sob o regulamento, o clube agora é acusado por má conduta e será encaminhado à comissão disciplinar. A diretoria da EFL considerará se o jogo será realizado ou não”.

Antigo dono do Watford, Laurence Bassini fez uma proposta pela aquisição do clube e aguarda apenas a aprovação da Football League para que o negócio seja concluído. Será o primeiro sinal de alento aos jogadores, embora a reconstrução do Bolton na League One seja bem mais longa.